11:13 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Aço laminado na usina siderúrgica da ArcelorMittal Dofasco em Hamilton, Canadá.

    Mais guerra: Índia anuncia retaliação de US$ 240 milhões em tarifas contra os EUA

    © REUTERS / Mark Blinch
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4121

    A Índia suspenderá as concessões comerciais e aumentará em até 50% as tarifas de importação de 30 produtos dos Estados Unidos, em resposta espelhada ao movimento impetuoso de Washington de impor tarifas sobre as importações de aço e alumínio.

    Nova Déli elaborou uma lista de 30 produtos americanos que pretende atingir com o aumento das tarifas de importação.

    As novas medidas terão um aumento de 50% nas tarifas de motocicletas com capacidade de mais de 800 cilindradas, enquanto as importações de maçã serão cobradas com uma taxa de 25%. As importações de amêndoas e nozes representariam uma arrecadação de 20%.

    No início desta semana, Nova Déli enviou uma carta à Organização Mundial do Comércio (OMC) notificando o corpo de sua intenção. O aumento total de tarifas em todos os produtos da lista será equivalente a US$ 240 milhões adicionais em taxas de importação. A soma é aproximadamente equivalente ao dano que a Índia sofreria com as medidas protecionistas de Donald Trump.

    "A proposta de suspensão de concessões ou outras obrigações assume a forma de um aumento nas tarifas de produtos selecionados originários dos Estados Unidos, com base nas medidas dos Estados Unidos", escreveu Nova Déli à OMC em 13 de junho, visando esclarecer que a suspensão de concessões será equivalente ao montante do comércio afetado pelas medidas dos Estados Unidos.

    "A Índia reserva-se o direito de suspender concessões substancialmente equivalentes e outras obrigações com base no impacto comercial resultante da aplicação das medidas dos Estados Unidos", acrescentou a notificação.

    Em março, o presidente Trump anunciou tarifas de 25% e 10% sobre todos os aços e alumínio estrangeiros que entram nos Estados Unidos. Enquanto alguns países receberam isenções, a Índia não foi. Nova Déli fez representações na OMC em maio, ameaçando aumentar as tarifas em até 100% em 20 produtos importados dos Estados Unidos. Nesta semana, o governo finalizou sua lista e números. Mais cedo, a Índia disse que vai adotar medidas de retaliação em 21 de junho, a menos que os EUA reconsiderem suas taxas de importação.

    Nova Déli notificou a OMC no momento em que o ministro do Comércio, Suresh Prabhu, encerrava sua viagem a Washington, onde conversava com o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, e com o representante de Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, para encontrar formas de evitar uma guerra comercial.

    Na semana passada, falando no encontro do G7 no Canadá, Donald Trump atacou as relações de comércio exterior "injustas", desta vez entre os Estados Unidos e a Índia. "Quero dizer, nós temos a Índia, onde algumas das tarifas são 100%. 100%. E nós não cobramos nada. Não podemos fazer isso", declarou Trump na semana passada. "Somos como o cofre que todo mundo está roubando".

    Mais:

    Chanceler da Índia dispara: 'Nós não somos obrigados a cumprir as sanções dos EUA'
    Mídia revela detalhes do acordo sobre venda de S-400 russos para Índia
    Índia volta a testar seu míssil balístico com mais de 5.000 km de alcance
    Tags:
    relações bilaterais, comércio, guerra comercial, aço, alumínio, G7, OMC, Robert Lighthizer, Wilbur Ross, Donald Trump, Estados Unidos, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik