15:57 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Presidente filipino Rodrigo Duterte

    Polêmico, Rodrigo Duterte manda prender estrangeira indesejável: uma freira

    © AP Photo / Bullit Marquez
    Ásia e Oceania
    URL curta
    572

    O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, disse que ordenou a detenção de uma freira australiana de 71 anos, Patricia Fox, porque, segundo a lei, ele tem o direito de deportar "estrangeiros indesejáveis".

    A irmã Patricia Fox, que vive nas Filipinas há 27 anos, é acusada de realizar atividades políticas ilegais que violam os termos de seu visto. As autoridades também dizem que ela participou de manifestações políticas na província de Mindanao, no sul do país, que tem estado sob lei marcial desde que foi capturada por militantes ligados ao Daesh em maio passado.

    A freira foi detida por "conduta desordeira" na segunda-feira e ficou no departamento de imigração em Manila por quase 24 horas.

    "Não foram os militares que prenderam a freira católica da Austrália", disse Duterte, citado pelo jornal Inquirer. "Foi sob minhas ordens implementadas pelo Escritório de Imigração. E assumo total responsabilidade, legal ou não, por este incidente", acrescentou.

    O presidente continuou dizendo que poderia receber críticas de todas as esferas da vida nas Filipinas, mas criticou o fato de ter sido insultado por estrangeiros. Duterte disse que era uma "violação da soberania" e que os estrangeiros "não tinham o direito de nos criticar" antes de acrescentar "não insulte o meu país".

    O líder das Filipinas aconselhou a freira a "corrigir os abusos dentro de sua organização" e sugeriu que ela iluminasse sua nação natal, a Austrália.

    "Por que você não critica seu próprio governo, a maneira como lida com os refugiados, com fome e com a morte e os transforma de volta ao mar aberto", criticou.

    O presidente pode estar se referindo à ilha de Manus, na Papua Nova Guiné, na qual centenas de imigrantes que buscam abrigo e refúgio na Austrália permanecem presos desde que o campo de detenção foi oficialmente fechado em novembro passado.

    A ONU pediu à Austrália que "pare a emergência humanitária que se desenrola na Ilha Manus". A Austrália respondeu que o governo de Papua Nova Guiné é responsável pelo local.

    A Austrália também tem sido criticada por recusar barcos cheios de requerentes de asilo que entram em suas águas. Em um relatório de 2015, a Anistia Internacional descreveu o que disse ser "uma evidência condenatória de funcionários australianos pagando tripulações de barcos para devolverem as pessoas que buscam asilo para a Indonésia e tratamento abusivo das mulheres, homens e crianças a bordo".

    Mais:

    'Rei dos insultos', Duterte chama oficial da ONU de 'filho de uma prostituta'
    Filipinas criticam relatório dos EUA que classifica Duterte como 'ameaça à democracia'
    'Atire em suas vaginas', recomenda Duterte a soldados quanto a mulheres opositoras
    Tags:
    polêmica, estrangeiros, catolicismo, prisão, política, ONU, Patricia Fox, Rodrigo Duterte, Papua-Nova Guiné, Austrália, Filipinas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik