23:55 21 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Treinamento de fuzileiros navais sul-coreanos e norte-americanos que decorre em Pyeongchang

    Poderia Coreia do Norte realizar ataque durante Jogos Olímpicos de 2018?

    © REUTERS / Kim Hong-Ji
    Ásia e Oceania
    URL curta
    803

    Especialistas analisaram as medidas que poderiam ser tomadas para garantir a paz na península coreana durante os Jogos Olímpicos de 2018, que serão realizadas na Coreia do Sul.

    De acordo com Tom Collina e Catherine Killough, autores de artigo publicado pela Foreign Policy sobre os Jogos Olímpicos em Pyeongchang de 2018 e as tensões entre os EUA, a Coreia do Sul e Coreia do Norte, embora não seja uma guerra, existem inúmeras maneiras da nação de Kim Jong-un de afetar a realização do evento esportivo. Uma bomba aérea, intoxicação alimentar ou ameaças de bomba são apenas alguns dos exemplos mencionados pelos especialistas.

    No entanto, a situação potencialmente perigosa pode ser também "uma oportunidade para fazer avançar a paz, se Seul, Washington e Pyongyang desempenharem bem suas cartas". De acordo com Collina e Killough, os próximos Jogos Olímpicos de Inverno "seriam desculpa necessária" para que todos os países se reúnam.

    A Coreia do Sul convidou seu vizinho do Norte para participar das competições. De acordo com Moon Jae-in, presidente sul-coreano, a participação da Coreia do Norte nos Jogos Olímpicos seria "uma grande oportunidade para enviar uma mensagem de reconciliação e paz para o mundo", lembraram os autores do artigo.

    Não obstante, é pouco provável que a Coreia do Norte envie atletas a Pyeongchang se os exercícios militares conjuntos entre os EUA e a Coreia do Sul forem levados a cabo em fevereiro e março, de acordo com o planejado, apontaram os especialistas.

    "Para resolver esse problema, Seul e Washington devem reagendar os exercícios, não só para reduzir as chances de que a Coreia do Norte cause transtornos durante os Jogos Olímpicos, mas também para dar a ambos uma abertura diplomática", escreveram Collina e Killough.

    Os autores do texto consideraram que a diplomacia seja a chave para reduzir as tensões e para parar o programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte, já que "as sanções não funcionaram" e não há opções militares limitadas que não terminem em "catástrofe".

    "Os próximos Jogos Olímpicos oferecem a oportunidade perfeita para que os Estados Unidos e a Coreia do Norte se sentem e conversem. Washington pode oferecer suspensão dos exercícios militares e, em troca, Pyongyang poderia oferecer interrupção de seus testes nucleares e de mísseis. O Norte poderia enviar seus atletas e manter a paz. Então, [Donald] Trump, Moon e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, podem se tornar líderes que fazem o que é certo para proteger a bela história dos jogos e os atletas", expressaram os especialistas.

    Um acordo assim seria coerente com a recente resolução da Assembleia Geral da ONU, que pede "trégua olímpica durante os Jogos de Inverno". De acordo com o Comitê Olímpico Internacional, o cessar de hostilidades garantiria o passo seguro para os atletas e suas famílias e para os Jogos Olímpicos.

    Os autores do artigo lembram que a Coreia do Sul já deu o primeiro passo para garantir que os Jogos Olímpicos continuem sendo pacíficos ao pedir para que os Estados Unidos adiem os exercícios conjuntos. Por sua vez, Rex Tillerson, secretário de Estado dos EUA, disse não saber de plano algum para alterar exercícios militares.

    Collina e Killough salientam que os Jogos Olímpicos seriam uma oportunidade para que os Estados Unidos diminuam a crise diplomática "através do poderoso meio dos esportes", uma vez que a diplomacia esportiva já conseguiu construir muitas pontes entre adversários ao longo da história.

    "Com tão poucas opções diplomáticas disponíveis, Estados Unidos devem aproveitar este momento olímpico para estabelecer as bases do diálogo. O mundo inteiro estará assistindo issp", concluem os especialistas.

    Os XXIII Jogos Olímpicos de Inverno serão realizados na cidade sul-coreana de Pyeongchang, entre 9 e 25 de fevereiro de 2018. Por sua parte, os Jogos Paraolímpicos de Pyeongchang 2018 serão realizados de 9 a 18 de março de 2018.

    Mais:

    Mídia: crise em torno da Coreia do Norte ameaça segurança dos Jogos Olímpicos 2018
    França afirma que pode não participar dos Jogos Olímpicos de Inverno na Coreia do Sul
    Coreia do Norte manterá silêncio durante Jogos e buscará diálogo em maio, dizem analistas
    Tags:
    diálogo de paz, ataque, segurança, Jogos Olímpicos, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar