05:26 26 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, em coletiva de imprensa em Seul, 2 de novembro de 2017

    Chefe da OTAN visita zona desmilitarizada e defende mais pressão sobre Pyongyang

    © AFP 2018/ JUNG YEON-JE
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1014

    O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, visitou na quinta-feira (2) a zona desmilitarizada da península coreana e assegurou ao presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, que a pressão exercida na Coreia do Norte visa solucionar o problema nuclear de modo pacífico, comunicou a assessoria de imprensa da administração sul-coreana.

    "Acho que é preciso não só exercer pressão diplomática e política na Coreia do Norte, mas também recorrer a sanções econômicas", declarou Jens Stoltenberg na reunião com Moon Jae-in. Segundo o secretário-geral da OTAN, tal pressão na Coreia do Norte "também visa resolução pacífica e política".

    "É necessário empreender todos os esforços na busca de uma resolução real através do diálogo e da pressão", sublinhou.

    Moon Jae-in perguntou a Stoltenberg sobre o que ele achou da visita à zona desmilitarizada – faixa de quatro quilômetros que separa duas Coreias. O chefe da Aliança falou que "viu tantos soldados que se esforçam para proteger não só a Coreia do Sul, mas também para garantir a paz mundial, e que ele agradece a todos em nome da OTAN".

    Militares norte-coreanas durante a parada militar em homenagem ao 60º aniversário do fim da Guerra da Coreia, 2013
    © Sputnik / Ilia Pitalev
    O presidente sul-coreano frisou que a guerra na península, que levou à morte de muitas pessoas entre 1950 e 1952, não deve repetir-se.

    "De Seul à zona desmilitarizada leva uma hora de carro; o uso de armas convencionais e mísseis de longo alcance pode resultar em uma tragédia. Sendo assim, espero que o secretário-geral [da OTAN] entenda de forma clara a necessidade de solução pacífica do problema nuclear norte-coreano sem confrontos militares", salientou Moon Jae-in.

    Jens Stoltenberg está visitando países asiáticos. Antes da chegada a Seul, ele visitou o Japão, onde o tema da Coreia do Norte entrou na agenda das negociações. O chefe da OTAN declarou que a Coreia do Norte representa ameaça também para os países europeus por causa do seu programa nuclear, mas a Aliança pode enfrentar "qualquer agressão" de Pyongyang.

    Mais:

    OTAN reconhece que está 'no raio de alcance' dos mísseis de Pyongyang
    EUA e Rússia enviam bombardeiros nucleares para as fronteiras da Coreia do Norte
    Desertor político lança luz sobre verdadeira resposta de Pyongyang a um ataque dos EUA
    Tags:
    zona desmilitarizada, agressão, confrontos, conferência, conflito, visita, OTAN, Moon Jae-in, Jens Stoltenberg, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik