14:18 20 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Fronteira da China com a Coreia do Norte

    Risco para o mundo? China e Coreia do Norte vivem 'crise na relação', diz agência

    © AP Photo / Ng Han Guan, File
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1094

    Pressionado pela Casa Branca, o governo chinês está tendo dificuldades para se comunicar diplomaticamente com a Coreia do Norte, uma vez que o principal canal de comunicação entre os dois país teria sido descontinuado, informou uma fonte chinesa à agência sul-coreana Yonhap.

    Segundo a mesma fonte diplomática, a situação apresentou sensível piora nos últimos meses, com a sequência de testes balísticos e a última prova nuclear, todos conduzidos por Pyongyang e reprovados por Pequim.

    "Parece ser verdade que a comunicação não tem sido tranquila. Já faz algum tempo que trocas significativas entre autoridades de alto escalão foram rompidas, e nada sobre um recomeço foi mencionado", disse a fonte chinesa à Yonhap.

    O último contato significativo foi um "diálogo estratégico" entre o então vice-ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Kim Kye-gwan, e seu homólogo chinês, Zhang Yesui, em junho de 2013, para discutir a reabertura das negociações entre seis países, disse a fonte.

    Recentemente, o ministro de Relações Exteriores da China, Wang Yi, se reuniu brevemente o chanceler norte-coreano, Ri Yong-ho, para alertar contra as provocações militares de Pyongyang durante um fórum regional anual da ASEAN em Manila, no início do mês passado. Estava prevista ainda uma reunião bilateral entre os dois na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, que acontece desde a semana passada.

    "Altas autoridades chinesas expressaram suas preocupações quanto às relações com Pyongyang", completou a fonte à agência sul-coreana.

    A China diz que está fazendo todos os esforços possíveis para dissuadir o Norte de desenvolver armas nucleares e mísseis, mas o efeito desses esforços é limitado. A falta de resultados já rendeu críticas abertas a Pequim, feitas pelo presidente dos EUA, Donald Trump.

    Coreia do Norte vai à Rússia

    Uma representante da Coreia do Norte embarcou nesta segunda-feira para Vladivostok, onde teria um encontro com o embaixador russo Oleg Burmistrov, informou a Agência Central Coreana de Notícias (KCNA).

    Segundo a agência, a diretora-geral do departamento norte-americano no Ministério de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Choe Son-hui, levou na pauta de assuntos a tratar com o chanceler da Rússia o aumento das tensões na Península da Coreia.

    Na semana passada, Choe se reuniu com o embaixador russo em Pyongyang, Alexander Matsegora, segundo informou a Embaixada da Rússia no país.

    A expectativa é que os encontros tenham relação com as indicações dadas pelo Kremlin, de que o governo do presidente Vladimir Putin quer ter um maior papel na busca por uma saída diplomática para as tensões entre Coreia do Norte e EUA.

    Mais:

    Opinião: China 'deve se preparar' para a guerra na península da Coreia
    Chanceler russo diz por que EUA não atacarão Coreia do Norte
    Coreia do Norte responde ao voo de aviões dos EUA mostrando como vai destruí-los
    Tags:
    guerra, sanções, relações bilaterais, diplomacia, KCNA, Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), ONU, Alexander Matsegora, Oleg Burmistrov, Ri Yong-ho, Wang Yi, Zhang Yesui, Kim Kye-gwan, Estados Unidos, Rússia, Coreia do Norte, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik