01:37 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1424
    Nos siga no

    O lançamento em 29 de agosto de um míssil norte-coreano, que superou uma distância de 2,7 mil quilômetros e caiu nas águas do Pacífico, não revelou praticamente nenhuma nova informação sobre o desenvolvimento do programa balístico da Coreia do Norte, para além do fato de o voo do míssil Hwasong ter sido bem-sucedido.

    Tal poderia gerar a ideia que este míssil tem todas as chances de entrar para o serviço do exército, informa o Nezavisimaya Gazeta

    O último teste nuclear subterrâneo da Coreia do Norte pode ser considerado como um novo desafio provocador de Pyongyang essencialmente para Washington, para levar a um conflito direto. 

    Indubitavelmente o nível de elaboração, ou seja, de fiabilidade de muitos mísseis continua baixo, como o demonstraram os três últimos lançamentos de projéteis que já estão em serviço. 

    Isso faz com que estes lançamentos representem uma ameaça adicional porque não é claro se os especialistas locais serão capazes de controlar o voo com falhas que resultem em alterações da trajetória, se existem sistemas de autodestruição que funcionem em caso de necessidade e se existem sistemas de pré-aviso de lançamentos não autorizados. 

    Existe uma enorme incerteza quanto à possibilidade de os mísseis norte-coreanos serem dotados de ogivas nucleares. De um lado, segundo várias informações, a Coreia do Norte possui de 8 a 12 ogivas nucleares que podem ser instaladas nos mísseis. De outro lado, Pyongyang não as pode utilizar com os mísseis, mas pode instalá-las em bombas aéreas. 

    Vale a pena considerar que mesmo os mísseis da classe Scud, Nodong-1 e as suas modificações podem transportar uma carga útil de cerca de 1 tonelada. 

    Toda a história recente de desenvolvimento das ogivas nucleares com a utilização de urânio ou plutônio nos países nucleares confirma a possibilidade de desenvolver ogivas deste peso. Nestas condições de completa incerteza, é lógico contar com o pior dos cenários, que prevê a deterioração permanente da situação político-militar na região. 

    Mais:

    Crise com Coreia do Norte só pode ser resolvida com eliminação de Kim, diz analista
    Vladimir Putin: Rússia não reconhece estatuto nuclear da Coreia do Norte
    Tags:
    ameaça, defesa, lançamento, conflito, míssil, teste, nuclear, arsenal, Nodong, Hwasong-12, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar