23:30 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin durante a sua visita oficial à China, Pequim, China, 25 de junho de 2016

    Rússia e China estão prontas a começar 'revolução do transporte' na Eurásia

    © Sputnik/ Sergei Guneev
    Ásia e Oceania
    URL curta
    12121

    A Rússia defende de forma determinada o projeto chinês “Um Cinturão e uma Rota” e participará ativamente da concretização deste, disse o presidente russo Vladimir Putin durante uma mesa-redonda em Pequim. Os especialistas comentam a cooperação entre os dois países no âmbito da iniciativa.

    Vladimir Putin descreveu os objetivos indicados pelo seu homólogo chinês, Xi Jinping, como objetivos de grande escala, atuais, desafiantes e extremamente importantes.

    Ele também disse que a Rússia quer ter a China na qualidade de parceiro para implementar a revolução do sistema de transporte na Eurásia e estabelecer uma cooperação mais ampla na região para construir uma ponte entre a Europa e a Ásia.

    Ao comentar o apoio do presidente Putin à iniciativa de Pequim, o especialista em política externa de Moscou Andrei Volodin sublinha que a Rússia oferece um corredor de transporte indispensável entre o Oriente e o Ocidente: a ferrovia Transsiberiana russa, que poderia desempenhar um papel tão importante como o Corredor Norte-Sul, permitindo o acesso à Europa dos países do Sudeste Asiático, da Índia e das regiões orientais russas.

    "Pelo que entendi, Putin também disse que os países da Europa Ocidental e outros da União Europeia poderiam aderir às iniciativas, que assegurarão um caminho mais curto entre a Europa Ocidental e a Ásia Oriental.

    Falando na cerimônia de abertura do fórum de investimento "Um Cinturão e uma Rota" em Pequim no domingo, o presidente Putin afirmou que cerca de 50 países da Europa, Ásia e América Latina estavam interessados em participar do projeto.

    Jia Pujing, especialista da Universidade Renmin da China, destacou a cooperação mutualmente vantajosa entre a União Econômica Eurasiática (UEE) e a China no âmbito do projeto "Um Cinturão e uma Rota".

    " 'Um Cinturão e uma Rota' e a UEE visam a cooperação econômica e o desenvolvimento de longo prazo na Eurásia, laços comerciais livres, vias de transporte desenvolvidas e amizade", disse Jia Pujing.
    Além disso, em Pequim Putin disse que, para reforçar os processos de integração na Eurásia, é necessário liberalizar as leis comerciais, unificar as normas de regulamento para todos os tipos de produtos, assim como criar novos corredores de transporte e infraestrutura.

    Aleksandr Gabuev, diretor do programa Rússia na região de Ásia-Pacífico do Centro Carnegie de Moscou, aplaude o início de negociações entre a Comissão Econômica Eurasiática [órgão executivo da UEE] e a China para facilitar o comércio bilateral.

    "Em primeiro lugar, precisamos eliminar as barreiras comerciais e depois podemos falar das taxas de importação mais baixas. Depois disso, poderíamos começar aumentando nosso volume de comércio e livrar-nos dos problemas que impedem o avanço econômico", disse o especialista em entrevista à Sputnik.

    O fórum dedicado à nova Rota da Seda, que foi inaugurado em Pequim em 14 de maio, faz parte das atividades do governo chinês para promover o projeto "Um Cinturão e uma Rota", no qual se inclui o Cinturão Econômico da Rota da Seda e a Rota da Seda Marítima, proposto por Xi Jinping em setembro de 2013.

    Facebook

    Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

    Mais:

    EUA pedem que Rússia e China 'façam o possível' para responder à Coreia do Norte
    China planeja construir base espacial em asteroide
    Tags:
    comércio internacional, cooperação internacional, UEE, Xi Jinping, Vladimir Putin, Eurásia, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik