16:33 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    43488
    Nos siga no

    As fotos podem ser utilizadas pelos agentes de inteligência para obter dados secretos de qualquer país, incluindo a Coreia do Norte, segundo informou o The New York Times.

    Assim, os especialistas analisaram uma imagem datada de março de 2016, em que o líder do país, Kim Jong-un, mostra um novo dispositivo nuclear. De acordo com o jornal, essa foto também pode nos mostrar o possível alcance do míssil que está por trás de Kim, bem como a localização do polígono e as relações do líder da Coreia do Norte com os efetivos do exército.

    ​Jeffrey Lewis, especialista do Instituto Middlebury de Estudos Internacionais, usou a imagem para calcular o tamanho da bomba nuclear, nomeada "disco ball" por analistas. Segundo Lewis, a bomba tem cerca de 60 centímetros de diâmetro e pesa entre 100 e várias centenas de quilogramas. No que diz respeito à sua potência destrutiva, atinge cerca de 20 quilotoneladas, o que é quase equivalente às bombas atômicas lançadas pelos EUA sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. No entanto, o pequeno tamanho da bomba confirma as declarações da Coreia do Norte de que o artefato explosivo cabe em seus mísseis de longo alcance.

    Paralelamente, ainda não se sabe nada sobre o uso do tampão de metal, mas alguns especialistas supõem que este componente possa servir para ativar a detonação ou para injetar gás, o que permitirá a Pyongyang construir mais ogivas nucleares com um suprimento limitado de plutônio. Quanto à ponteira, pode ser usada para perfurar o núcleo um pouco antes da detonação ou para reforçar a ogiva nuclear.

    No que diz respeito à imagem do próprio líder do país, os especialistas garantem que está vestindo a jaqueta de seu avô, Kim Il-sung, que sempre está associada com a Guerra da Coreia. Assim, Kim envia a mensagem de que Pyongyang está outra vez em pé de guerra. Ao mesmo tempo, o político norte-coreano está à frente de seu pai, Kim Jong-il. O casaco do líder norte-coreano nos ajuda a entender melhor o curso político do país asiático.

    De acordo com o analista Michael Madden, é estranho que em um evento tão importante falte o uniforme militar. De acordo com o especialista, só estão presentes funcionários civis norte-coreanos, assim como dois altos cargos militares: o líder do programa nuclear e o dirigente das forças de mísseis. De acordo com outro especialista, Joshua Pollack, da revista Nonproliferation Review, é um símbolo claro de que, neste caso, trata-se do programa nuclear privado de Kim Jong-un. Além disso, o líder norte-coreano está dando conselhos, enquanto que os funcionários e altos cargos só tomam notas.

    Quanto ao míssil balístico localizado no fundo, ele também traz detalhes importantes, segundo disse David Schmerler ao NY Times, pesquisador do Centro de Estudos da Não-Proliferação. De acordo com o especialista, as letras brancas escritas sobre o míssil significam "apoio". Assim, é evidente que a estrutura do míssil que, teoricamente, tem um alcance de mil quilômetros de extensão e será capaz de chegar a Washington se aperfeiçoar a tecnologia, é muito frágil, e é necessário o apoio físico por parte de tanques internos. Por sua vez, uma colega de Schmerler, Melissa Hanham, lembrou-se de uma série de fotos dedicadas aos ensaios do motor de foguete por parte do exército norte-coreano. Ao analisar a cor da chama do motor, ela chegou à conclusão de que o projétil seja projetado para atingir a costa leste dos EUA.

    No que diz respeito à localização do polígono, os especialistas a descobriram ao analisar milhares de fotos de propaganda do país. Através do estudo da roupa e o peso, que tende a variar, Kim Jong-un durante um período de tempo, especialistas conseguiram estabelecer a data aproximada da foto. Quanto ao local, os pequenos detalhes arquitetônicos e uma bandeira igual a das outras imagens ajudaram a especialistas esclarecer que se trata da fábrica de mísseis Chamjin, situada nos arredores de Pyongyang. Jeffrey Lewis continua monitorando o local para ver algumas mudanças ou novas construções. De acordo com as fotos do satélite, as instalações nucleares estão em expansão. Lewis também assegura que até mesmo poderia ser detectado o carro do líder norte-coreano.

    De acordo com o analista, as fotos mostram que, como disse Joshua Pollack, "este é um programa muito sério". Por sua parte, Melissa Hanham disse que alguns detalhes podem fazer parte da propaganda do país. Por exemplo, a mídia norte-coreana costuma editar as imagens para melhorar a aparência do líder da Coreia do Norte. Ao mesmo tempo, esta foto está intacta, o que pode ser interpretado como uma mensagem de Pyongyang para as agências de inteligência estrangeiras.

    "Estão oferecendo isso como evidência. Supõe-se que sejam provas", concluiu a especialista. E acrescentou também que "2016 serviu para mostrar suas capacidades, de que antes nos burlaram".

    Mais:

    Kim Jong-un: lançamento de míssil balístico abre portas para ataque nuclear
    Kim Jong-un aposta nas mulheres para manter lealdade ao regime
    Irmã de Kim Jong-un pode ser a verdadeira comandante da Coreia do Norte
    Tags:
    secretos, bomba nuclear, arma nuclear, Kim Jong-un, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar