03:02 08 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Military vehicles carry DF-16 short-range ballistic missiles during a parade commemorating the 70th anniversary of Japan's surrender during World War II held in front of Tiananmen Gate in Beijing, Thursday, Sept. 3, 2015. The PLA Rocket Force has tested the D-16 missiles in recent weeks.

    China testa seu novo e super preciso míssil

    Ng Han Guan
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9345
    Nos siga no

    Chineses começaram a praticar o desdobramento de mísseis de médio alcance Dongfeng (DF) capazes de chegar a bases estratégicas norte-americanas e japonesas perto da China, a mais recente iteração dos preparativos para um conflito armado no Mares do Sul e do Leste da China.

    Enquanto as celebrações chinesas do Ano Novo Lunar continuam, Pequim se concentrou em preparações de defesa. Os mísseis DF-16, revelados pela primeira vez ao público no final de 2015, foram testados na floresta durante exercícios de lançamento de mísseis nas últimas semanas, de acordo com imagens de vídeo dos jogos de guerra publicados pelo Ministério da Defesa Nacional da China.

    O míssil DF-16 exibe um nível de precisão comparável a um míssil de cruzeiro, disse Shi Hong, editor executivo da Shipborne Weapons, à China Daily. Para quantificar essa precisão, os mísseis podem percorrer cerca de 625 milhas, transportar até três ogivas nucleares com um peso combinado de uma tonelada e atingir cinco pés de um alvo programado.

    A faixa do DF-16 coloca-o em distância impressionante da base militar dos EUA em Okinawa, bem como das ilhas japonesas, Taiwan e Filipinas, diz o The Japan Times. Os mais recentes mísseis balísticos de médio alcance desenvolvidos pela China funcionam através de duas fases que permitem que os mísseis alterem a trajetória em pleno voo, acrescentou a fonte. Esta característica do DF-16 torna possível a manobra em torno de sistemas de defesa de mísseis de Taiwan.

    O país pode lançar os mísseis DF-16 de qualquer lugar no continente chinês, e talvez mesmo do porta-aviões solitário Liaoning, dado que os mísseis são desdobrados de uma plataforma móvel.

    Recentemente, Pequim retaliou à comunicação do presidente dos EUA, Donald Trump, com Taiwan, testando dez mísseis DF-21, que têm um alcance de pelo menos 900 milhas. A agência de notícias chinesa Xinhua escreveu que os mísseis da classe DF-21 podem "destruir as bases da Ásia e do Pacífico a qualquer momento". O especialista militar Rick Fisher disse ao Washington Free Beacon que "o PLA está batendo alguns tambores para fornecer o fundo para a guerra psicológica militar".

    Um artigo no Diplomat notou que a China não precisa se preocupar com um "assalto americano convencional no continente" com pousos-anfíbio pela água ou de paraquedistas, ou forças expedicionárias Marinhas. Pequim é suscetível, no entanto, à capacidade de Washington para controlar as águas "fora dos limites marítimos da China de 12 milhas náuticas", observou o veículo.

    Mais:

    Inovação militar: China testa míssil com 10 ogivas nucleares
    Mídia: China poderá estar desenvolvendo novo míssil ar-ar
    Trump pretende formar novo triângulo político para conter China?
    China pretende liderar na construção de aparelhos submersíveis
    Tags:
    Ano Novo Lunar, Ministério da Defesa Nacional da China, The Japan Times, The Diplomat, Xinhua, Washington Free Beacon, Rick Fisher, Donald Trump, Okinawa, Filipinas, Taiwan, China, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar