18:27 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Míssil de longo alcance da Coreia do Norte

    Ex-diplomata norte-coreano revela quando Pyongyang terá míssil balístico intercontinental

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    28212
    Nos siga no

    A Coreia do Norte planeja obter míssil balístico intercontinental de ogivas nucleares no ano de 2018, disse em entrevista à agência Yonhap, Thae Yong-ho, ex-conselheiro norte-coreano que fugiu de Londres para a Coreia do Sul em 2016.

    "Aproveitando a época de mudanças, em especial das eleições nos EUA e na Coreia do Sul, a Coreia do Norte tem como objetivo — para o final de 2017 e começo de 2018 — concluir a criação de mísseis capazes de atingir os EUA e reduzir o tamanho de ogivas nucleares para poder instalá-las em todos os mísseis", disse Thae Yong-ho, citado pela Yonhap.

    Em sua mensagem de Ano Novo à nação, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, afirmou que o país entrou na etapa final do projeto de criação de míssil balístico intercontinental.

    Segundo a agência Yonhap, os mísseis em questão são KN-08, com lançadores móveis e alcance superior a 13 mil quilômetros, ou seja, capazes de atingir a parte continental dos EUA.

    Coreia do Norte se recusa a interromper seus programas nuclear e de mísseis devido à ameaça sofrida pelos EUA. A nação norte-coreana está disposta a desafiar as sanções impostas pela ONU para seguir com a atividade.

    Em 9 de setembro de 2016, Pyongyang realizou seu 5º teste nuclear, considerado o maior da história do país e responsável pela resposta do Conselho de Segurança da ONU que introduziu sanções contra a Coreia do Norte.

    Mais:

    Japão realizará exercícios de evacuação para ameaças de ataques da Coreia do Norte
    Trump diz que não permitirá que Coreia do Norte desenvolva armas nucleares
    Coreia do Norte: 2017 é ano favorável ao crescimento de arsenal nuclear
    Tags:
    teste nuclear, míssil balístico intercontinental, ONU, Kim Jong-un, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar