09:01 06 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Vendedor em Seul assiste notícia sobre teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, 9 de setembro de 2016

    Coreia do Norte realiza maior teste nuclear da sua história

    © REUTERS / Kim Hong-Ji
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3427
    Nos siga no

    Coreia do Norte efetuou mais um teste nuclear. Sismólogos de todo o mundo registraram a atividade da crosta terrestre na península da Coreia.

    O epicentro dos tremores de magnitude 4,8 a 5,3 atingiu a área do polígono norte-coreano para testes de armas nucleares. A atividade sísmica foi tão forte, que até moradores da região russa de Primorsky Krai sentiram os tremores.

    Fontes da estação de detecção de terremotos de Yuzhny Sakhalinsk disseram à RIA Novosti que o terremoto na Coreia do Norte ocorreu a uma profundidade de 12 quilômetros.

    A informação sobre a realização de testes foi confirmada em Pyongyang. Em uma edição especial da televisão Central da Coreia do Norte, foi declarado que o país vai continuar o curso sobre o desenvolvimento do programa nuclear.

    O que aconteceu?

    Os funcionários do Serviço geológico dos EUA foram os primeiros a registrar os tremores sísmicos. Segundo eles, o epicentro foi perto do povoado, que fica a 20 quilômetros do polígono de testes nucleares Pangiri.

    Seul e Tóquio têm certeza de que os tremores foram resultado de um teste nuclear na Coreia do Norte. A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, frisou que tais ações revelam a "mania" do líder norte-coreano.

    EUA ainda não comentaram, mas a Casa Branca já foi informada sobre os últimos acontecimentos na península do Coreia.

    "Nós estamos acompanhando a situação em estreita coordenação com os parceiros regionais", disse o representante do Conselho de segurança nacional da Casa Branca, Ned Price.

    Por sua vez, a embaixada da Coreia do Norte na Rússia assinala que testes nucleares atuais representam medidas tomadas em resposta à ameaça das sanções e pressão dos EUA e forças inimigas, que negam categoricamente o estatuto estratégico da Coreia do Norte como país capaz de possuir armas nucleares, condenando a demonstração dos direitos legítimos de soberania norte-coreana.

    A Coreia do Norte está satisfeita

    A agência telegráfica central da Coreia do Norte informou depois dos testes, que o país tem capacidade de equipar mísseis balísticos com ogivas nucleares. Pyongyang sublinhou que os testes não afetaram negativamente o meio ambiente.

    Teste №5

    Segundo estimativas de Seul, pela potência desta bomba, ela poderia ter 10 toneladas de TNT, escreve a agência de notícias Yonhap, citando fontes diplomáticas.

    Na Coréia do Sul foi sublinhado que o novo teste nuclear, se tornou o maior em toda a história da Coreia do Norte.

    Imediatamente após a notícia sobre o possível teste de armas nucleares, países vizinhos começaram a monitorar o fundo radiativo. Até agora, os dados de medições confirmam que o fundo não foi excedido.

    Segundo Younhap, a realização de testes nucleares resultou na convocação de reunião urgente do Conselho de Segurança da ONU, que será realizada na noite desta sexta-feira (09). A reunião contou com a iniciativa de Seul, Tóquio e Washington.

    Novas sanções?

    O último teste nuclear de Pyongyang foi realizado em 6 de janeiro. Depois de um mês, em 7 de fevereiro, a Coreia do Norte lançou um foguete-portador com satélite da Terra artificial.

    Em resposta, representantes do Conselho da Segurança decidiram, por unanimidade, endurecer a sanções contra a Coreia do Norte. Pyongyang não reconhece tal resolução, se referindo ao fato de que o lançamento foi produzido com fim da exploração espacial, e o teste nuclear foi efetuado devido à política agressiva dos EUA.

    De acordo com Seul, os novos tremores foram registrados na mesma área dos tremores de janeiro.

    Mais:

    Seul: implantação de THAAD no país não é dirigida contra Rússia
    Pequim exorta Seul a renunciar ao sistema americano de defesa antiaérea
    Seul suspeita que Coreia do Norte possa lançar novo míssil balístico
    Seul e Washington discutiram deslocamento de forças estratégicas dos EUA para Coreia
    Tags:
    teste nuclear, arma nuclear, terremoto, Coreia do Sul, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar