22:58 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Reunião do Conselho de Segurança da ONU

    'Sentido da declaração do diplomata chinês sai fora dos limites das palavras pronunciadas'

    © REUTERS / Mike Segar
    Ásia e Oceania
    URL curta
    13403

    Na segunda-feira (5), a Rússia e a China vetaram o projeto de resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre o cessar-fogo em Aleppo.

    Mais tarde, o representante permanente do Reino Unido na ONU, Matthew Rycroft, criticou a posição da Rússia e China. Segundo ele, o veto da China causa uma surpresa especial.

    O representante permanente da China na ONU, Liu Jieyi, apelou aos membros do Conselho de Segurança da ONU para se manifestarem contra a regulação do conflito na Síria e pediu ao britânico para não deturpar as posições de outros países envenenando a atmosfera do Conselho.

    O diretor do Centro de Relações Internacionais do Instituto de Línguas de Pequim, Jia Lieying, disse à Sputnik China que a reação do representante chinês foi bastante adequada.

    "A meu ver, a reação de Liu Jieyi foi a adequada. Ela está isenta de arrogância ou adulação, tudo o que ele disse é verdade. O sentido da declaração sai fora dos limites das palavras pronunciadas. Espero que todos o consigam enxergar", disse.

    Ele destacou que a posição única da China e da Rússia em relação à resolução sobre a Síria tem uma grande importância. Desde o começo da crise síria que a Rússia e a China rejeitam, já pela quinta vez, o projeto de resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria.

    "O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, esteve presente recentemente numa conferência dedicada aos assuntos de diplomacia chinesa e à situação internacional, destacando as relações entre a Rússia e China como 'um contrapeso importante que mantem a situação estável no mundo'."

    Ele sublinhou que a parceria estratégica sino-russa será benéfica não só para o desenvolvimento de ambos os países, mas também para a regularização dos problemas globais e regionais, inclusive o sírio.

    Até que enfim que foram apanhados!
    © Sputnik / Vitaly Podvitsky
    Até que enfim que foram apanhados!

    Segundo o ex-embaixador sírio na Turquia, Nidal Kabalan, o objetivo principal da resolução é salvar os terroristas.

    Ele disse à Sputnik Árabe que as resoluções do órgão principal da ONU apoiam interesses dos terroristas e de seus financiadores. Os militantes deveriam ter eliminado o Estado da Síria, segundo o mesmo roteiro do Afeganistão ou da Líbia, mas nas últimas duas semanas o exército sírio está realizando a ofensiva contra os terroristas com ajuda da Rússia.

    "Com certeza que os autores deste projeto extremista estão indignados, eles gastaram em vão bilhões de dólares e já é tarde para recuar. Eles tentam salvar os terroristas e retirá-los do cerco do exército sírio", disse.

    Segundo Kabalan, a Síria possui recursos minerais, uma cultura rica e muitos países ocidentais ficariam felizes por dividi-la.

    "Pela primeira vez na história contemporânea, um pais tão pequeno como a Síria defende os seus interesses e avança contra o mundo imperialista", afirmou.

    Mais:

    Damasco condena ataques terroristas contra hospital móvel russo em Aleppo
    Japão e EUA empreendem ataque psicológico contra a China
    Tags:
    opinião, declaração, Conselho de Segurança da ONU, ONU, Reino Unido, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik