07:20 14 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    4175
    Nos siga no

    Relatos sobre os Estados Unidos não quererem mais sancionar a empresa supervisora da construção do gasoduto Nord Stream 2 (Corrente do Norte 2) resultaram em uma onda de críticas por parte do Partido Republicano.

    A informação sobre a suspensão de sanções à entidade empresarial e ao presidente-executivo supervisores da construção do gasoduto Nord Stream 2 foi prestada por fontes anônimas, de acordo com o portal Axios. Em contrapartida, as mesmas fontes ressaltam que Washington vai antes impor sanções a "uma mão cheia de navios russos".

    Vários republicanos, tais como o senador, Ted Cruz, e a porta-voz do Departamento de Estado da era Trump, Morgan Ortagus, criticaram fortemente a eventual decisão de Biden, afirmando que a suspensão das sanções vai contra os interesses nacionais e que seria traduzida como "outra vitória para Rússia".

    Navio-grua Akademik Chersky, apto a concluir a construção do gasoduto Nord Stream 2
    © Sputnik / Mikhail Golenkov
    Navio-grua Akademik Chersky, apto a concluir a construção do gasoduto Nord Stream 2

    O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, por sua vez, confirmou que a administração Biden estaria fazendo o possível para "prevenir a finalização" do gasoduto Nord Stream 2. No entanto, ao mesmo tempo, não revelou informações relacionadas aos relatos em causa bem como a natureza das sanções que, alegadamente, poderiam ser suspensas.

    O mesmo sublinhou que a única maneira seria a imposição de sanções aos utilizadores alemães do gás russo, e a equipe em serviço na Casa Branca "não está a fim de corromper suas relações com a Alemanha devido ao Nord Stream 2", citado pela mídia. Afinal, a Alemanha é a principal potência econômica europeia, e criar tensões com a mesma não traria bons resultados para Washington.

    Em se tratando da União Europeia (UE), Joseph Borrell, chefe da diplomacia do bloco europeu, afirmou que a UE "não detém os meios e ferramentas para decidir sobre o que fazer em relação ao Nord Stream 2, por ser um assunto de empresas privadas e dos alemães". O mesmo, porém, reconhece que a construção do gasoduto é também um tema controverso dentro do bloco. 

    No entanto, há quem tenha percebido na possível decisão da administração Biden uma possível pista para uma estratégia diferente em lidar com o projeto, considerado pelos EUA problemático. Agora, apenas o tempo revelará que planos Biden estará, ou não, desenvolvendo.

    A contestação da construção do gasoduto Nord Stream 2 por parte de Washington deve-se ao fato de, uma vez concluída, poder retirar todas as chances de o gás americano ser vendido aos países europeus. Apesar da recente escalada de tensões entre vários Estados da UE com a Rússia, o bloco está ciente de que vários dos seus membros são dependentes do gás russo.

    Mais:

    EUA possuem exército secreto de 60 mil soldados, aumentando forças contra China e Rússia, diz mídia
    França, Alemanha e Espanha selam acordo para novo caça que seria para o bem da 'soberania da Europa'
    Blinken: se Rússia tomar medidas imprudentes contra interesses de EUA e aliados, Washington agirá
    Tags:
    sanções, tensões, Nord Stream 2, Alemanha, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar