01:52 24 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    212
    Nos siga no

    FBI não identificou evidências de que falsos apoiadores de Donald Trump participaram da invasão do Capitólio ocorrida em 6 de janeiro, quando o republicano estava prestes a deixar o poder em Washington.

    Os fatos ocorridos na capital estadunidense são investigados como um caso de terrorismo doméstico. A declaração sobre a ausência de infiltrados foi feita nesta terça-feira (2), em comitê do Senado para discutir o tema, pelo diretor do FBI, Christopher Wray. 

    "Não vimos evidências disso até esse ponto, certamente", respondeu ele após ser perguntado sobre a participação de falsos apoiadores de Trump nos eventos. 

    A invasão do Congresso dos EUA ocorreu no dia em que os parlamentares certificaram a vitória do democrata Joe Biden nas eleições norte-americanas. Trump é acusado de ter insuflado seus apoiadores a adotarem medidas violentas. 

    Por outro lado, existem alegações de que infiltrados teriam participado da invasão para prejudicar o ex-presidente e seus partidários. 

    Indivíduos extremistas

    Wray disse ainda que o FBI prendeu mais de 270 suspeitos, incluindo membros de milícias de extrema-direita e vários supremacistas brancos. 

    "Nós já prendemos mais de 270 indivíduos até agora, sendo mais de 300 quando incluímos os detidos por nossos parceiros, com mais indivíduos sendo identificados e acusados quase todos os dias", afirmou o diretor do órgão. 

    Wray disse ainda que as prisões têm permitido ao FBI conhecer melhor os indivíduos presos, que, segundo ele, são motivados por "extremismo violento de milícia" e, em alguns casos, "extremismo racial violento" com defesa de "superioridade dos brancos". 

    Em sua defesa, Trump afirma que pediu para seus apoiadores protestarem de forma pacífica. O ex-presidente alega que as eleições que conduziram Biden à Casa Branca foram fraudadas.

    Sobre terrorimo doméstico

    Apesar de terem surgido várias teorias propondo que parte da causa dos eventos desse dia poderia vir de grupos de extrema esquerda, como a Antifa e vários falsos trumpistas, o diretor do FBI voltou a repetir que não existiam, até agora, provas do envolvimento de tais grupos.

    Diretor do FBI, Christopher Wray, sobre a invasão de 6 de janeiro: "É um comportamento que nós, FBI, vemos como terrorismo doméstico [...] até agora, já prendemos mais de 270 indivíduos [...] 6 de janeiro não foi um evento isolado. O problema do terrorismo doméstico tem passado por metástase."

    Enquanto membros do Partido Democrata teriam focado mais na questão de "supremacia branca" em relação ao terrorismo, alguns republicanos apontaram que a invasão ao Capitólio teria sido o resultado de outros protestos em meses anteriores, com participação de grupos com tendências ideológicas de esquerda.

    Christopher Wray, por sua vez, afirma que sua agência de investigação não tem interesse em assuntos partidários, e vê a "ideologia" apenas como "mais uma parte do caso".

    O senador republicano Lindsey Graham, do estado da Carolina do Sul, chegou a sugerir que o FBI aumentasse seu combate à ameaça do terrorismo doméstico, solicitando que Wray submetesse uma lista com tudo o que o FBI necessitasse para combater tamanho problema que, segundo Wray, tem "aumentado drasticamente".

    Mais:

    EUA poderiam negar para China acesso à tecnologia essencial para fabricação de chips
    Após UE, EUA aplicam sanções contra Rússia pelo caso Navalny
    Embaixador iraquiano descarta possibilidade de retirada das forças dos EUA do Oriente Médio
    Tags:
    invasão, Joe Biden, Donald Trump, Congresso, EUA, Capitólio, FBI
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar