05:07 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    125
    Nos siga no

    Uma das mais conceituadas revistas sobre direito no mundo, a Law Review, nomeou pela primeira vez em seus 134 anos de história um diretor muçulmano.

    Nascido em Los Angeles, na Califórnia, o jurista Hassaan Shahawy será o responsável por um dos mais prestigiosos veículos jurídicos dos Estados Unidos.

    O estudante de direito de origem egípcia afirmou esperar que sua nomeação represente "o crescente reconhecimento por parte da academia jurídica da importância da diversidade e, talvez, seu crescente respeito por outras tradições legais".

    Entre os juristas e políticos mais influentes que passaram pela Law Review, está o ex-presidente Barack Obama, eleito em 1990 o primeiro diretor negro da revista.

    Barack Obama, presidente dos Estados Unidos
    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Barack Obama, presidente dos Estados Unidos
    Além dele, três membros atuais da Suprema Corte americana foram editores da Law Review, assim como a juíza Ruth Bader Ginsburg, morta em 2020, e o juiz Antonin Scalia, morto em 2016.

    "Vindo de uma comunidade cotidianamente demonizada pelo discurso público norte-americano, eu espero representar algum progresso, mesmo que pequeno e simbólico", afirma Shahawy, de 26 anos, em carta à Reuters.

    Nas revistas jurídicas atuam os estudantes com o melhor desempenho nas faculdades de direito. Ao sair, costumam ser contratados para trabalhar como assistentes de juízes e para outros empregos importantes da área.

    Shahawy formou-se em Harvard em 2016, com especialização em história e estudos do Oriente Médio. Ele também estudou, como bolsista, na Universidade de Oxford, onde fez doutorado em estudos orientais e direito islâmico.

    Atualmente, Shahawy trabalha ativamente junto a populações refugiadas e em prol de reformas no direito penal americano. Seus planos para o futuro ainda são incertos, embora ele cogite as possibilidades de se tornar defensor público ou seguir na carreira acadêmica.

    Mais:

    'Recuperar o que roubaram dos muçulmanos': Daesh ameaça atacar Israel
    Símbolos cristãos e muçulmanos encontrados em navio naufragado há 1.300 anos em Israel (VÍDEO)
    'Promove islamofobia em vez de combater terroristas': Macron é criticado por líderes muçulmanos
    Tags:
    Egito, revista, mundo muçulmano, muçulmanos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar