06:56 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    Policiais do Capitólio pediram desculpas aos soldados da Guarda Nacional dos EUA que foram enviados a Washington antes da posse de Biden e alocados em um estacionamento com um só banheiro.

    Milhares de militares da Guarda Nacional dos Estados Unidos, que chegaram a Washington para reforçar a segurança para posse de Biden, tiveram de dormir em um estacionamento localizado perto do Capitólio, segundo informou a revista Politico.

    Um dos militares revelou que na quinta-feira (21) sua divisão foi ordenada a deixar o Capitólio para ficar em um estacionamento de muitos andares. No estacionamento, onde deviam ser alocados cinco mil soldados, não há Wi-Fi, apenas uma tomada e um banheiro com duas cabines.

    A senadora dos Estados Unidos e veterana de guerra, Tammy Duckworth, afirmou que a "Polícia do Capitólio pediu desculpas aos soldados da Guarda Nacional, que vão poder voltar ao complexo", de acordo com NBC News.

    A general da divisão Janeen Birckhead confirmou que os soldados foram transferidos do estacionamento ao edifício do Capitólio.

    ​Veja: Soldados da Guarda Nacional deixam o estacionamento do Centro Judicial Thurgood Marshall após a Polícia do Capitólio ter realocado temporariamente a área de descanso deles. Soldados voltaram ao Capitólio.

    A segurança da cidade de Washington foi reforçada com um contingente de 25.000 soldados da Guarda Nacional devido à recente invasão ao Capitólio e a indícios de que alguns trumpistas, que não concordaram com a derrota de Donald Trump, pudessem estar planejando mais protestos contra a tomada de posse de Joe Biden.

    Mais:

    Impeachment de novo? Joe Biden cai em linha de fogo lançada por republicana
    Momentos da posse de Joe Biden que acabaram virando memes
    Putin poderia ter tido conhecimento sobre invasão ao Capitólio, sugere Hillary Clinton
    Tags:
    tomada de posse, Washington, Capitólio, polícia, EUA, Guarda Nacional
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar