09:13 28 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1290
    Nos siga no

    A companhia aérea alemã Lufthansa pediu permissão à Argentina para sobrevoá-la em direção às Ilhas Malvinas, informou o governo argentino na quinta-feira (21). O pedido foi recebido como reconhecimento das ilhas "como parte do território argentino".

    A Lufthansa informou, separadamente, que fez o pedido de dois sobrevoos para apoiar uma expedição científica de pesquisa polar, pois a rota mais utilizada via Cidade do Cabo, na África do Sul, foi suspensa devido à pandemia do coronavírus, segundo a agência Reuters.

    Há muito que a Argentina e o Reino Unido disputam as Ilhas Malvinas. A longa disputa levou a uma breve guerra em 1982.

    A Argentina disse que o governo alemão também pediu permissão para que o navio de pesquisa Polarstern atracasse no Porto Stanley, que é a capital do território controlado pelos britânicos, informa a mídia.

    Os dois voos de 15 horas estão programados para os dias 1º de fevereiro e 30 de março.

    O MRE da Argentina declarou que a Lufthansa havia pedido à autoridade de aviação civil argentina, bem como a outras autoridades regionais, para sobrevoar a Argentina e usar a cidade argentina de Ushuaia, na Patagônia, como um aeroporto alternativo, caso não possa vir a pousar nas ilhas disputadas.

    Placa comemorativa do conflito das ilhas Malvinas, no Memorial Nacional Arboretum, durante uma cerimônia que marcou o 35º aniversário da invasão argentina das ilhas Malvinas, em Staffordshire, Reino Unido, 2 de abril de 2017
    © AP Photo / Danny Lawson
    Placa comemorativa do conflito das ilhas Malvinas no Reino Unido

    O MRE também informou que a embaixada alemã pediu autorização à Prefeitura Naval da Argentina para que o navio Polarstern pudesse atracar em "Puerto Argentino", nome argentino da capital das Ilhas Malvinas.

    "Destaca-se a relevância do pedido da Lufthansa apresentado às autoridades argentinas, pois implica o reconhecimento das Ilhas Malvinas como parte do território argentino", declarou o MRE argentino, citado pela Reuters.

    No ano passado, a Argentina trabalhou arduamente para recuperar as ilhas, nomeando um ministro das Malvinas e dizendo que voltará a desenhar os mapas para enfatizar sua intenção em escolas, bem como fazer maior pressão nas Nações Unidas.

    O governo alemão, por sua vez, não respondeu de imediato a pedidos de comentários.

    Mais:

    Alberto Fernández, presidente da Argentina, recebe 1ª dose da Sputnik V (FOTO, VÍDEO)
    Chanceler venezuelano diz que todos os planos de Pompeo para América Latina 'fracassaram'
    Multa para quem vai a festas durante lockdown no Reino Unido chega a R$ 47 mil
    Tags:
    Lufthansa, conflito, Ilhas Falklands, Ilhas Malvinas, Grã-Bretanha, Alemanha, Argentina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar