20:47 08 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    252
    Nos siga no

    O presidente Donald Trump afirmou nesta terça-feira (12) que não está preocupado com um possível pedido de impeachment com base na 25ª Emenda da Constituição dos EUA, que permitiria que seu gabinete o destituísse do cargo.

    Trump fez a afirmação durante discurso realizado na cidade de Alamo, no Texas, onde fez uma visita a um muro que marca um trecho da divisa dos Estados Unidos com o México.

    "A 25ª Emenda é de risco zero para mim", disse Trump, que logo depois cutucou o presidente eleito Biden, ao afirmar que a ameaça de utilizar a 25ª Emenda "voltará a assombrar Joe Biden e a administração Biden. Como diz a expressão, tome cuidado com o que deseja".

    Assim como havia feito ainda na Casa Branca, antes de embarcar para o Texas, Trump afirmou que as ameaças de impeachment contra ele estão trazendo raiva e causando tensões desnecessárias na política norte-americana.

    "A farsa do impeachment é uma continuação da maior e mais cruel caça às bruxas da história de nosso país e está causando uma enorme raiva, divisão e dor, muito maior do que a maioria das pessoas jamais entenderá, o que é muito perigoso para os EUA, especialmente neste momento muito delicado", disse Trump.

    De acordo com a AP, os assessores de Trump têm instado o presidente a passar os últimos dias no cargo destacando o que consideram as principais realizações de seu mandato, como o corte massivo de impostos e a nomeação de juízes conservadores para o Tribunal Federal. Trump, no entanto, tem feito repetidas alegações de fraude eleitoral e de conspirações contra o seu mandato, além de outras declarações polêmicas.

    No Texas, por exemplo, Trump destacou os esforços de seu governo para conter a imigração ilegal. A declaração foi feita próximo ao muro da divisa com o México.

    Trump advertiu ainda que uma reversão de suas políticas por Biden traria uma "onda gigantesca de imigração ilegal" e afirmou que "acabar com essas políticas é conscientemente colocar os Estados Unidos em sério perigo".
    Donald Trump visita o muro que separa um trecho da divisa dos Estados Unidos com o México, em Alamo, no Texas, no dia 12 de janeiro de 2021.
    © REUTERS / Carlos Barris
    Donald Trump visita o muro que separa um trecho da divisa dos Estados Unidos com o México, em Alamo, no Texas

    Discurso antes da invasão ao Capitólio foi 'totalmente apropriado', diz Trump

    Também nesta terça-feira (12), o presidente Donald Trump afirmou que não tem qualquer responsabilidade sobre a invasão ao Capitólio. Segundo ele, seu discurso para apoiadores momentos antes do episódio de invasão não incentivou atos de violência.

    "As pessoas acharam que o que eu disse era totalmente apropriado", disse Trump, segundo a AP.

    No discurso, Trump disse que estaria próximo aos apoiadores, presenciando momentos históricos.

    "Eu estarei com vocês. Vamos andar até o Capitólio e felicitar nossos bravos senadores e congressistas. […] Nós vamos impedir o roubo [das eleições]", disse Trump, no discurso antes da invasão ao Capitólio.

    Quando Trump encerrou o discurso, milhares de partidários já se dirigiam para o Capitólio, onde os legisladores se reuniram para contar os votos eleitorais. O episódio acabou com cenas de violência e deixou cinco mortos.

    Em vídeo publicado horas após o início da invasão, Trump disse que "as eleições foram roubadas" e fez diversas afirmações falsas sobre o processo eleitoral. Em seguida, disse: "Não podemos fazer o jogo deles. Nós temos que ter paz, então vão para casa. Nós amamos vocês, vocês são especiais".

    Mais:

    Câmara dos EUA procederá com tentativa de destituir Trump, diz líder democrata
    Ações do Twitter despencam após suspensão da conta de Donald Trump
    'Te conheço?': Netanyahu remove Trump da capa da sua conta no Twitter
    Tomadas de posse presidenciais nos EUA: de Reagan a Trump
    Tags:
    Capitólio, México, divisas, muro, político, impeachment, Alamo, Texas, Estados Unidos, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar