01:09 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    A Guarda Nacional no estado de Maryland permanecerá mobilizada em Washington durante a posse do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, em 20 de janeiro e pelo restante do mês, para garantir uma transição pacífica, disse hoje (7) o governador.

    "Estamos ampliando a missão da Guarda Nacional de Maryland em Washington para a cerimônia de posse [de Joe Biden] e até o final do mês [de janeiro]", disse o governador do estado, Larry Hogan, durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (7).

    Ontem [6], a sede de nosso governo federal e o coração de nossa democracia americana ficaram sob cerco em um ataque hediondo e violento. Hoje [7], eu forneci uma atualização sobre a resposta de Maryland, enquanto continuamos a ajudar a defender a capital de nosso país.

    O estado de Maryland enviou nesta quarta-feira (6) 500 soldados da Guarda Nacional para ajudar a polícia local a lidar com os partidários de Donald Trump, que ocuparam o prédio do Capitólio em uma tentativa de bloquear a certificação no Congresso da eleição presidencial de novembro.

    Depois que a polícia e a Guarda Nacional garantiram a segurança no Capitólio, liberando os legisladores que passaram grande parte do dia protegidos para concluir a certificação formal da vitória de Biden, e fizeram valer o toque de recolher noturno na capital, as tropas militares foram posicionadas nos arredores de Washington, onde permanecerão de prontidão pelo restante do mês de janeiro, disse Hogan.

    "Seguimos em um momento de fragilidade. A multidão pode ter quebrado janelas, mas não quebrou e não vai quebrar nossa democracia", disse Hogan.

    Sob as ordens do governador Larry Hogan, a Guarda Nacional em Maryland mobilizou cerca de 500 soldados para apoiar a aplicação da lei em Washington, D.C. Os soldados chegaram a Washington hoje [7] para ajudar na manutenção da lei e da ordem.

    O governador, que é do Partido Republicano, mas conta com apoio popular em um estado predominantemente democrata e que faz divisa com o Distrito de Columbia (DC), também apoiou os apelos para remover Trump do cargo.

    "Não há dúvida de que os Estados Unidos ficariam melhor se o presidente renunciasse ou fosse destituído", disse.

    Para Hogan, o vice-presidente Mike Pence seria o funcionário do governo dos Estados Unidos mais bem posicionado para liderar uma transição pacífica. O governador, no entanto, não quis comentar os apelos de muitos legisladores para invocar a 25ª Emenda à Constituição, que inclui uma cláusula que pode ser usada para permitir que Pence exerça o cargo de presidente interino pelo restante do mandato de Trump.

    Mais:

    Morre mulher baleada no Congresso dos EUA após invasão ao Capitólio (VÍDEO)
    De invasão britânica a ocupação pró-Trump: casos em que Capitólio foi visado
    Presidente da Câmara dos EUA pede renúncia de chefe de polícia do Capitólio
    Tags:
    Capitólio dos EUA, Washington, DC, Guarda Nacional dos EUA, EUA, Maryland
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar