11:25 17 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    221
    Nos siga no

    Dados de segurança nacional e de orçamento do Pentágono não teriam sido totalmente repassados à equipe do novo governo. Mas secretário de Defesa diz que entregou mais do que o solicitado.

    O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, acusou nesta segunda-feira (28) as autoridades do atual governo de bloquearem informações essenciais sobre segurança nacional, informou o site G1.

    Biden se reuniu em Wilmington, no estado de Delaware, com conselheiros e integrantes da equipe de transição. Segundo o democrata, que toma posse em 20 de janeiro, representantes de sua equipe não receberam todos os dados e relatórios necessários.

    "Não é nada menos, para mim, do que irresponsabilidade", criticou Biden.

    Segundo o presidente eleito, faltam dados importantes do orçamento do Departamento de Defesa, que, para ele, estão obstruídos pela "liderança política" da instituição.

    Para Biden, os danos aos órgãos oficiais feitos pelo governo de Donald Trump, que ainda se recusa a aceitar a derrota nas eleições, foram enormes.

    "Muitos tiveram as equipes, a capacidade e a moral danificadas. Isso torna mais difícil para nosso governo proteger o povo norte-americano", comentou Biden.

    O presidente eleito disse que a sua equipe "precisa de uma imagem clara da nossa postura de força em todo o mundo e das nossas operações para dissuadir os nossos inimigos".

    E que o país necessita de uma "total visibilidade no planejamento orçamentário em curso no Departamento de Defesa e outras agências a fim de evitar qualquer espaço para confusão ou recuperação que os nossos adversários possam tentar explorar".

    Divergência

    O secretário interino da Defesa, Chris Miller, defendeu o trabalho de transição do órgão em uma declaração na segunda-feira (28), em que se referia às "164 entrevistas do Departamento com mais de 400 funcionários" e dizia que a agência "forneceu mais de cinco mil páginas de documentos, muito mais do que inicialmente solicitado pela equipe de transição de Biden".

    "Os esforços do Departamento de Defesa já ultrapassam os dos governos recentes com mais de três semanas para avançar e continuamos a agendar reuniões adicionais para o resto da transição e a responder a todo e qualquer pedido de informação no nosso domínio", disse Miller.

    Mais:

    Estaria Kim Jong-un planejando 'surpresa' para a administração Biden?
    Israel estaria planejando construir assentamentos na Cisjordânia antes da presidência de Biden
    Como mudaria estratégia dos EUA em relação à Lua com chegada de Biden?
    Tags:
    orçamento, Delaware, Departamento de Defesa dos EUA, Donald Trump, Joe Biden
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar