08:08 15 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 91
    Nos siga no

    Acusado de violar a Lei de Espionagem dos EUA, Julian Assange enfrenta uma possível sentença de prisão de 175 anos, motivo pelo qual diversas personalidades, em defesa da liberdade de imprensa e de expressão, estão se mobilizando em apoio ao jornalista australiano.

    Nesta quinta-feira (3), o ex-agente da inteligência americana Edward Snowden, também um ativista acusado de violar a Lei de Espionagem, apelou ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para que conceda o perdão ao seu colega, fundador do site WikiLeaks. 

    ​Senhor presidente, se você conceder apenas um ato de clemência durante o seu mandato, por favor: liberte Julian Assange. Apenas você pode salvar a vida dele.

    Assange se encontra detido em Londres, no Reino Unido, onde aguarda julgamento sobre uma possível extradição para os EUA, onde é acusado pela obtenção e divulgação ilegal de documentos confidenciais do governo norte-americano

    A fim de impedir que seu cliente seja extraditado — decisão que deve ocorrer no dia 4 de janeiro —, os advogados do ativista devem denunciar, em sua defesa, motivações políticas por trás do processo, impossibilidade de um julgamento justo nos Estados Unidos e risco de suicídio de Assange nas prisões americanas.

    Mais:

    'Padrão duplo': Berlim não acolheu Assange ou Snowden, e albergou Navalny, critica deputado alemão
    'Crime imperdoável' de Assange foi expor 'demasiadas verdades' sobre Ocidente, segundo jornalista
    Dez anos após maior vazamento do WikiLeaks, grupo afirma que publicação 'transformou o jornalismo'
    Tags:
    WikiLeaks, Londres, espionagem, Reino Unido, Inglaterra, Donald Trump, Edward Snowden, Julian Assange, EUA, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar