01:58 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    3111
    Nos siga no

    União Europeia (UE) anunciou nesta quinta-feira (12) a prorrogação por um ano, até 14 de novembro de 2021, de suas medidas restritivas contra a Venezuela.

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta quinta-feira (12) que a União Europeia está alinhada com Donald Trump e que "desempenha um papel vergonhoso na extensão das sanções contra seu país".

    O pronunciamento foi feito pela rede Telesur logo após a UE ter confirmado a manutenção de sanções contra o país latino.

    ​A União Europeia continua a apoiar o bloqueio ao povo venezuelano, alargando as suas sanções ilegais. Mesmo nessas circunstâncias, eles ainda estão atrás de Donald Trump. É uma política cruel e fracassada, com claros sinais de colonialismo frustrado

    "A União Europeia ficou colada à Donald Trump e automaticamente continua com sua política cruel, implacável e malsucedida contra a Venezuela. Papel vergonhoso, ultrajante e triste que a UE desempenha contra o nobre povo da Venezuela", disse Maduro durante o discurso.

    "Nem com sanções, nem com olhares feios, nem com ameaças, nem milhares de Donald Trump que emergem da Europa conseguirão nos derrotar", concluiu.

    As sanções

    Segundo nota do Conselho da UE, a decisão da manutenção das medidas restritivas foi tomada à luz da atual "crise política, econômica, social e humanitária na Venezuela, com ações persistentes que minam a democracia e o respeito pelos direitos humanos".

    A medida foi adotada pela UE menos de um mês antes das eleições parlamentares de 6 de dezembro na Venezuela, às quais decidiu não enviar missão de observação por considerar que não estavam reunidas as condições para a realização das eleições.

    Mais:

    Maduro tenta driblar sanções dos EUA convidando empresas da China a investir na Venezuela
    Sanções dos EUA privam Irã de receber 5 milhões de doses de vacina contra gripe
    Sanções econômicas dos EUA impedem refugiados sírios de voltarem para seu país, diz Assad
    Rússia aplica sanções de resposta contra UE pelo caso Navalny, diz Lavrov
    Tags:
    Crise, economia, Europa, sanções, UE, Nicolás Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar