14:50 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    282
    Nos siga no

    Lisa Montgomery foi condenada por matar uma mulher grávida e roubar o bebê.

    O governo dos Estados Unidos marcou neste sábado (17) para o dia 8 de dezembro a primeira execução federal de uma mulher desde 1953. 

    Lisa Montgomery, que confessou o crime, perdeu todas as tentativas de apelar de sua condenação e sentença, de acordo com o Departamento de Justiça dos EUA.

    Sua defesa alegou durante o processo que ela sofria de pseudociese, também conhecida como "gravidez psicológica", que acontece quando uma mulher acredita que está grávida, mesmo não estando. 

    No processo, os responsáveis pela acusação apresentaram o histórico de busca Lisa para provar que o crime foi premeditado. Ela havia pesquisado como realizar cesáreas.

    O juiz decidiu que Lisa Montgomery merecia morrer devido à natureza hedionda do crime.

    A última mulher executada pelo governo federal no país foi Bonnie Heady, condenada à câmara de gás após participar do sequestro e assassinato de um menino de seis anos.

    O crime

    Em 2004, Lisa Montgomery, que tinha 36 anos na época, dirigiu até a casa de Bobbie Jo Stinnet, no noroeste do Missouri, e depois de tê-la estrangulado até a morte, cortou a criança de seu abdômen.

    Após o assassinato, Montgomery foi para casa e tentou passar o bebê como se fosse seu.

    A criança, que sobreviveu ao ataque, hoje tem 16 anos de idade.

    Mais:

    Papa Francisco reprova pena de morte em todos os casos em novo entendimento da Igreja
    Bielorrússia tem 2º condenado à pena de morte em 2019
    Presidente do México é contra pena de morte para atirador de El Paso
    Arábia Saudita deixará de aplicar pena de morte em menores de idade
    Tags:
    justiça, mulher, EUA, pena de morte, execução
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar