07:29 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    7630
    Nos siga no

    O homem teria pertencido à CIA. O líder venezuelano também mencionou uma operação que desmontou um plano para causar explosão em outra refinaria do país.

    O presidente venezuelano Nicolás Maduro anunciou a captura de um suspeito espião norte-americano com armas de grosso calibre em refinarias de petróleo no estado de Falcón, norte do país, e denunciou a existência de um plano para provocar uma explosão.

    "No dia de ontem capturamos no estado de Falcón um espião americano, espionando no estado de Falcón as refinarias de Amuay e Cardón [...] isto se soma ao fato de que há dois dias o companheiro Tareck El Aissami [ministro do Petróleo] junto com um grupo de especialistas e engenheiros descobriram e desmontaram um plano para causar uma explosão na refinaria de El Palito", acrescentou ele à emissora estatal VTV.

    As refinarias de Amuay e Cardón estão localizadas no Centro de Refino de Paraguaná, no estado de Falcón, enquanto a de El Palito é um dos complexos de refino de petróleo mais importantes da Venezuela, localizado no estado de Carabobo, todas no norte do país.

    O presidente indicou que as autoridades têm provas de que o homem capturado era um espião dos EUA, que serviu como fuzileiro da Marinha em bases da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) no Iraque.

    "Ele foi capturado com armas pesadas, com uma grande quantidade de dólares em dinheiro e outros elementos, que passamos diretamente ao Ministério Público, à investigação. Ele já está em fase de declarações", acrescentou Maduro.

    O presidente pediu aos trabalhadores das refinarias e aos habitantes do estado costeiro de Falcón que permanecessem atentos à ameaça de um possível ataque.

    Mais:

    Colômbia prende 4 envolvidos na fracassada incursão marítima na Venezuela
    Cabeça a prêmio: Maduro diz que Trump paga US$ 15 milhões para quem matá-lo
    Trump diz que 'algo vai acontecer com Venezuela', afirmando que EUA estarão 'muito envolvidos'
    Tags:
    Tareck El Aissami, Carabobo, Ministério Público da Venezuela, Ministério Público, CIA, EUA, Venezuela, Nicolás Maduro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar