05:42 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Mundo e COVID-19 no final de agosto (52)
    110
    Nos siga no

    Os casos de coronavírus ultrapassaram a marca de 7 milhões na América Latina nesta quinta-feira (27), mesmo com alguns países começando a mostrar um ligeiro declínio nas infecções.

    A média diária de casos caiu para cerca de 77.800 nos últimos sete dias até quarta-feira (26), contra quase 85.000 na semana anterior, mostrou a contagem baseada em dados dos governos e realizada pela agência de notícias Reuters.

    Seis meses desde a confirmação do primeiro caso no Brasil, o país com o pior surto fora dos Estados Unidos registrou nesta quinta-feira 44.235 novos casos e 984 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 3.761.391 casos e 118.649 mortes causadas pela enfermidade. 

    Apesar dos números alarmantes, as autoridades brasileiras afirmam que observam uma tendência de queda nos casos novos e um "platô" no número de mortes diárias.

    As autoridades mexicanas disseram que também observaram um declínio sustentado, embora a Organização Mundial da Saúde (OMS) diga que a escala da pandemia no segundo país mais populoso da América Latina foi subestimada.

    A OMS disse que o México e outros países da região precisam aumentar os testes e expressou preocupação com o alto nível de coronavírus entre os jovens.

    Brasil, Peru, México, Colômbia e Chile permanecem entre os 10 países com mais casos no mundo, nessa ordem. Com mais de 28.000 mortes, o Peru também tem a maior taxa de mortalidade per capita de COVID-19 na região.

    A Argentina, por sua vez, ultrapassou 10.000 casos diários na quarta-feira (26) pela primeira vez desde o início da pandemia, e novamente na quinta-feira (27), um aumento que levou o país a endurecer as medidas de distanciamento social em algumas províncias.

    A América Latina passou de seis milhões de casos de coronavírus para sete milhões de casos em 13 dias.

    Tema:
    Mundo e COVID-19 no final de agosto (52)

    Mais:

    Agronegócio aumentará ainda mais participação no PIB do Brasil pós-pandemia, diz economista
    Nova face do FMI? Organização retorna à América Latina durante pandemia
    Economista: pandemia do novo coronavírus ameaça capitalismo nos EUA
    Pandemia ou desastres naturais? Achados misteriosos restos mortais de 1.500 pessoas no Japão (FOTOS)
    Mercado Livre: gigante do e-commerce e fintech na América Latina vence pandemia
    Após 3 meses de pandemia em alta no Brasil, não devemos celebrar pequena redução, diz especialista
    Tags:
    américa latina, OMS, pandemia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar