14:48 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    365
    Nos siga no

    Vice-ministro interino da Bolívia explicou que o Ministério da Justiça recebeu documentação sobre "possível novo caso de estupro" que envolveria Morales, observando que a menor de idade tem uma filha.

    O Ministério da Justiça boliviano apresentou uma segunda denúncia contra o ex-presidente Evo Morales na segunda-feira (24) por suposta relação com uma menor de idade, com quem Morales teria uma filha, informou o vice-ministro interino de Transparência e Luta contra a Corrupção, Guido Melgar, em entrevista coletiva e reproduzido pela agência AFP, quatro dias depois de registrar a primeira denúncia contra o ex-presidente.

    "A menor de idade existe, a mãe existe, e a criança tem Juan Evo Morales Ayma como pai registrado", afirmou Melgar.

    O vice-ministro afirma que a jovem teve uma filha em agosto de 2016, quando tinha 16 anos, e assegurou se tratar de um assunto "bastante delicado", tendo sido a denúncia feita de forma anônima e corroborada pelo Registro Civil e pelo Serviço Geral de Identificação Pessoal.

    Presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, participa de cerimônia de posse de seu novo ministro da Saúde no palácio presidencial em La Paz, Bolívia, 8 de abril de 2020
    © AP Photo / Juan Karita
    Presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, participa de cerimônia de posse de seu novo ministro da Saúde

    O Ministério da Justiça transferiu a documentação para a Ouvidoria da Criança e do Adolescente de La Paz para averiguar se houve "violência relacionada a questões sexuais, como estupro", comentou Melgar.

    Objetivo político

    As denúncias contra o ex-presidente tomaram conta do debate político na última semana na Bolívia. De acordo com o Movimento pelo Socialismo (MAS, na sigla em espanhol), partido de Morales, essas denúncias são incentivadas pelo governo interino de direita, e têm um objetivo político em meio à campanha para as eleições presidenciais e legislativas, que estão marcadas para 18 de outubro.

    O MAS continua em primeiro lugar nas preferências de voto, de acordo com as pesquisas, e Morales é o gestor de campanha do partido.

    A primeira denúncia por suposta relação com menor ocorreu em 20 de agosto. A jovem tem hoje 19 anos. Evo Morales tem 60 anos, é solteiro e tem uma filha e um filho reconhecidos, de mães diferentes, e está refugiado na Argentina desde o fim de 2019.

    Mais:

    Governo boliviano acusa partido de Morales de desestabilizar o país
    Presidente interina da Bolívia convoca diálogo nacional para marcar eleições e encerrar protestos
    Evo Morales alerta para 'novo golpe de Estado' na Bolívia antes de eleições
    Apesar de protestos, Bolívia confirma eleições para 18 de outubro
    Tags:
    Argentina, Ministério da Justiça, Evo Morales, Bolívia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar