09:10 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    6313
    Nos siga no

    Espionagem e tentativas da China de roubar tecnologia americana são a "maior ameaça a longo prazo" para a informação, propriedade intelectual e vitalidade econômica dos EUA, o que "é estendido" à segurança nacional, afirmou o diretor do FBI, Christopher Wray.

    Segundo Wray, o Partido Comunista da China "pensa que está em uma luta geracional" para vencer de Washington "liderança econômica e tecnológica" e por isso faz um esforço estatal para "tornar-se a única superpotência do mundo por qualquer meio necessário".

    A interferência chinesa se destaca pela sua "abordagem diversificada e multifacetada", notou o diretor do FBI em discurso no Instituto Hudson.

    Christopher Wray denunciou a espionagem econômica, roubo de dados e atividades políticas ilegais por parte de Pequim.

    Diretor do FBI afirma que a China procura se intrometer na política dos EUA através de "uma campanha altamente sofisticada que envolve subornos, chantagem e acordos encobertos", em uma tentativa de influenciar os funcionários públicos americanos.

    Além do mais, o chefe da agência afirma que o FBI abre "um novo caso de contraespionagem relacionado à China a cada 10 horas", possuindo quase cinco mil casos ativos de contraespionagem do FBI em todo o país, sendo quase metade relacionada à China.

    Mais:

    Presidente da Huawei nega espionagem para governo chinês
    Empresa cibernética aponta China como suspeito principal de espionagem mundial
    'Império de hackers': China reage à divulgação de operação de espionagem global dos EUA
    Tags:
    funcionários públicos, EUA, FBI, China, propriedade intelectual, contraespionagem, espionagem
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar