23:39 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    11613
    Nos siga no

    De acordo com o Departamento de Justiça dos EUA, a administração Trump recomendou que a Comissão Federal de Comunicações revogue a licença de prestação de serviços da empresa de telecomunicações China Telecom nos EUA.

    "Hoje, as entidades interessadas do poder executivo recomendaram unanimemente que a Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês) revogue e ponha fim às autorizações de prestação de serviços internacionais de telecomunicações da China Telecom de e para os Estados Unidos", lê-se no comunicado emitido pelo Departamento de Justiça.

    As agências afirmaram que a "natureza das operações da China Telecom" nos EUA poderia eventualmente lhes permitir "se envolver em atividades cibernéticas maliciosas, permitindo espionagem econômica, perturbação e encaminhamento indevido de comunicações dos EUA", escreve The Guardian.

    A China Telecom é a filial norte-americana da empresa estatal de telecomunicações da China. Se estas recomendações forem aprovadas, isso poderia significar que os clientes de telefonia celular e Internet da companhia não estariam mais conectados com e dentro dos Estados Unidos.

    Anteriormente, Donald Trump assinou um projeto de lei impedindo usar fundos do Governo dos EUA para adquirir equipamentos da gigante tecnológica chinesa Huawei e de outras empresas que "ameaçam a segurança nacional dos EUA".

    A Huawei, a maior empresa de telecomunicações do mundo, ocupando o segundo lugar na venda de smartphones no mercado mundial, tem estado no centro de uma batalha pelo domínio tecnológico entre os Estados Unidos e a China.

    Mais:

    EUA apelam a União Europeia para usar 5G de concorrentes da Huawei
    EUA devem auxiliar suas empresas a rivalizar com Huawei, afirma provedor de 5G americano
    Gigante chinesa na mira dos EUA: Huawei pode vir a enfrentar mais uma medida repressiva
    Tags:
    China, empresas estatais, Donald Trump, Huawei, Telecomunicações, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar