16:01 23 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    260
    Nos siga no

    A vice-presidente da Colômbia, Marta Lucía Ramírez, reconheceu que um de seus irmãos foi condenado nos Estados Unidos por "conspiração para o narcotráfico" há 23 anos.

    A confissão ocorreu depois que o portal La Nueva Prensa alegou que Ramírez e seu marido, Álvaro Rincón, pagaram uma fiança de US$ 150 mil por Bernardo Ramírez Blanco, detido em Miami, em julho de 1997. Blanco foi preso recebendo uma carga de heroína.

    La Nueva Prensa garante que o irmão de Ramírez recrutou dois jovens colombianos em Miami para ir a Aruba e retornar com heroína encapsulada.

    Segundo a mídia, a política ocultou a informação e não revelou os fatos durante a campanha eleitoral. Por sua vez, Ramírez informou à imprensa que ela e o marido não teriam pago a fiança, mas sim uma garantia de que seu irmão responderia ao tribunal.

    "Tivemos que ajudá-lo assinando uma garantia, não foi pagamento de fiança, para garantir que ele fosse ao tribunal, como ele fez, acompanhado por meu marido e eu, o levamos a um tribunal da Flórida para reconhecer sua culpa e responder por ela", explicou Ramírez.

    A política também reconheceu que seu irmão "se envolveu em um negócio fácil e, consequentemente, foi acusado e condenado por uma conspiração por tráfico de drogas" por ser muito jovem. A vice-presidente acrescentou que Blanco passou 4,5 anos na prisão e, desde que ficou em liberdade, há 18 anos, "se dedica a trabalhar honestamente".

    "Hoje ele é um homem de bem e, com sua família, leva uma vida decente e honesta", afirmou.

    Mais:

    Colômbia estende quarentena até 24 de maio, mas flexibiliza algumas medidas
    Cidadão venezuelano acusado de espionagem é expulso da Colômbia
    Tags:
    tráfico de drogas, narcotráfico, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar