17:08 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    COVID-19 desafia mundo no início de junho (54)
    3214
    Nos siga no

    Em uma decisão que pode escalar a tensão comercial entre as duas maiores economias do mundo, o governo de Donald Trump decidiu nesta quarta-feira (3) impedir voos de empresas chinesas para os Estados Unidos. 

    O Departamento de Transporte afirmou que suspenderá os voos de passageiros de quatro companhias aéreas chinesas a partir de 16 de junho. Serão barrados voos que têm como origem ou destino os Estados Unidos. 

    A medida, segundo a agência de notícias Associated Press, é uma resposta à decisão da China de não permitir as empresas United Airlines e Delta Air Lines retomarem voos esta semana para a China. As viagens foram suspensas no início deste ano em resposta à pandemia de coronavírus.

    O Departamento de Transporte disse que a China está violando um acordo entre os dois países que regulamenta voos de companhias aéreas e que continuará em contato com Pequim para que as empresas dos países "possam exercer plenamente seus direitos bilaterais". 

    "Enquanto isso, permitiremos que as transportadoras chinesas operem o mesmo número de voos regulares de passageiros que o governo chinês permite aos nossos", afirmou o Departamento de Transporte.

    A medida poderá entrar em vigor antes de 16 de junho, de acordo com Departamento de Transporte.

    Tema:
    COVID-19 desafia mundo no início de junho (54)

    Mais:

    Trump usa OMS, China e protestos para distrair EUA do seu fracasso contra COVID-19, dizem analistas
    'China prefere intimidar vizinhos do que resolver conflitos', diz parlamentar dos EUA
    Yuan digital da China poderia substituir bitcoin e acabar com hegemonia do dólar
    Exército chinês realiza manobras nas montanhas do Tibete em meio a tensões com Índia (VÍDEO)
    Grande impulso para economia digital? China permite herdar bitcoins
    Tags:
    COVID-19, China, Estados Unidos, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar