19:21 19 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    Avanço da pandemia de COVID-19 em meados de maio (112)
    6519
    Nos siga no

    O presidente dos EUA respondeu às críticas sobre a suposta falta de testes realizados no país, dizendo que o elevado número de casos é porque "nossos testes são muito melhores".

    Donald Trump tem enfrentado críticas generalizadas pelo que foi visto como uma resposta lenta à pandemia e atrasos na mobilização eficiente dos testes para COVID-19 em todo o país, o que foi dificultado pela falta de disponibilidade de equipamentos e suprimentos cruciais.

    O presidente norte-americano afirmou durante a primeira reunião do gabinete na Casa Branca desde o surto da COVID-19 nos EUA, na terça-feira (19), que era "um distintivo de honra" o país ter o maior número de casos confirmados de coronavírus no mundo.

    "A propósito, você sabe quando você diz que nós lideramos nos casos, isso é porque temos mais testes do que o resto do mundo. Então, quando temos muitos casos, eu não vejo isso como uma coisa ruim, eu vejo isso como, de certa forma, como sendo uma coisa boa, porque significa que nossos testes são muito melhores", disse Trump.

    O presidente dos EUA, que estava respondendo a uma pergunta de repórteres sobre se ele estava introduzindo uma proibição de viagens contra Brasil principalmente devido ao aumento de casos de COVID-19 lá, acrescentou:

    "Então eu vejo isso como um distintivo de honra. Realmente, é um distintivo de honra. É uma grande homenagem aos testes e a todo o trabalho que muitos profissionais têm feito."

    Combate ao coronavírus

    Os membros do gabinete norte-americano saudaram os esforços do presidente em lidar com a pandemia da COVID-19, com o vice-presidente Mike Pence, que tem liderado a força-tarefa para coronavírus, anunciando que todos os 50 estados americanos abriram parcialmente suas economias.

    O povo americano "está respirando ar livre e fazendo isso com responsabilidade", afirmou Pence, citado pela emissora CNN.

    O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, gesticula durante o evento de criação da Força Espacial dos EUA
    © AP Photo / Evan Vucci
    O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, gesticula durante o evento de criação da Força Espacial dos EUA

    Um tweet do Comitê Nacional Democrata chamou 1,5 milhão de casos de COVID-19 de "completo fracasso da liderança" por parte do presidente.

    As taxas de testes para coronavírus e o tratamento inicial da pandemia por parte da administração presidencial nos EUA têm sido criticados.

    No final de abril, Trump afirmou em um briefing da força-tarefa da Casa Branca para coronavírus que as críticas à capacidade de testes do país para a COVID-19 eram "partidárias", acrescentando que "estamos lidando com política, estamos lidando com uma coisa chamada 3 de novembro, é chamada de eleição presidencial".

    O presidente dos EUA atribuiu nesse mês responsabilidade aos estados.

    Os estados têm que intensificar seus TESTES!

    Até 19 de maio, os EUA haviam realizado 12,6 milhões de testes para coronavírus. Entre 300 mil e 400 mil testes foram realizados diariamente nos EUA na última semana, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês).

    Estatísticas para os EUA

    Atualmente, os Estados Unidos têm mais de 1,5 milhão de casos registrados de coronavírus, com o número de mortes em torno de 92 mil, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

    Segundo Our World in Data, uma publicação científica baseada na Universidade de Oxford, Reino Unido, os EUA realizaram mais testes para a nova doença respiratória, por volume, do que qualquer outro país. No entanto, isto não é verdade em uma base per capita.

    Os EUA estão na 38ª posição mundial em termos de testes por um milhão de pessoas, de acordo com o portal Worldometer. Isso os coloca à frente da Alemanha ou Coreia do Sul, mas atrás de Espanha, Portugal, Rússia, Itália ou Reino Unido.

    Tema:
    Avanço da pandemia de COVID-19 em meados de maio (112)

    Mais:

    Crianças apresentam misteriosos sintomas atípicos do coronavírus nos EUA
    Autoridade de saúde dos EUA prevê 2ª onda de coronavírus ainda mais devastadora
    Defendida por Trump e Bolsonaro, cloroquina não funciona para coronavírus, diz estudo dos EUA
    EUA têm 3 de cada 4 hospitais tratando casos do novo coronavírus
    Tags:
    CNN, Comitê Nacional Democrata, Donald Trump, Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, Universidade Johns Hopkins, COVID-19, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar