18:55 06 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    231751
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, alertou a China para não espalhar "rumores estranhos" sobre a doença COVID-19 e acusou a China de tentar transferir a culpa pela pandemia do novo coronavírus para os EUA.

    Em uma ligação telefônica com o principal diplomata da China, Yang Jiechi, Pompeo transmitiu "fortes objeções dos EUA" à recente sugestão da China de que o vírus poderia ter sido trazido para o país pelos militares dos EUA.

    Pompeo enfatizou a Jiechi que "não é hora de espalhar desinformação e rumores estranhos", revelou um porta-voz do Departamento de Estado.

    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Lijian Zhao, disse na semana passada que poderia ter sido o Exército dos EUA "que levou a epidemia a Wuhan" e pediu aos EUA que sejam transparentes sobre seu "Paciente Zero".

    Logo se especulou que a delegação dos EUA nos Jogos Mundiais Militares, que aconteceram em Wuhan em outubro, era a fonte.

    Modelo estruturalmente representativo de betacoronavírus que é o tipo de vírus ligado à doença COVID-19, causada pelo novo coronavírus
    © REUTERS / Comunicação Científica NEXU
    Modelo estruturalmente representativo de betacoronavírus que é o tipo de vírus ligado à doença COVID-19, causada pelo novo coronavírus

    Zhao não foi a única figura internacional a apontar o dedo para Washington. O chefe do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, na semana passada, sugeriu que a COVID-19 poderia ser o "produto de um ataque biológico da América que se espalhou inicialmente para a China e depois para o Irã e o resto do mundo".

    Embora não haja provas para nenhuma das teorias sobre as origens do coronavírus que se espalha rapidamente, os rumores vêm irritando Washington.

    Na ligação, Jiechi afirmou a Pompeo que as tentativas dos EUA de manchar os esforços da China "não teriam sucesso". Na semana passada, a China acusou Pompo de "caluniar" o país ao se referir repetidamente à COVID-19 como o "vírus Wuhan" - uma prática que Pequim disse ser "desprezível" e estigmatizar o país.

    Mais:

    Maior do que 'ameaça russa', COVID-19 faz EUA se retirarem de exercício da OTAN na Europa
    Governo do Rio isola região metropolitana e proíbe circulação de ônibus intermunicipais
    Casos de coronavírus no Brasil sobem para 291, diz Ministério da Saúde
    Tags:
    saúde, Irã, Mike Pompeo, novo coronavírus, COVID-19, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar