15:09 25 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    212
    Nos siga no

    O Escritório do Representante Comercial dos EUA isentou produtos médicos importados da China do pagamento de tarifas aduaneiras. Tarifas haviam sido impostas a esses produtos no auge da chamada "guerra comercial" entre os dois países.

    Dentre os produtos isentos estão máscaras, lenços humedecidos, luvas cirúrgicas e demais equipamentos médicos necessários no combate ao coronavírus.

    O processo de solicitação de isenção de tarifas sobre produtos chineses pode ser bastante vagaroso, mas neste caso os trâmites parecem ter sido acelerados, reportou a Reuters.

    A companhia norte-americana Apple, por exemplo, solicitou isenção para a importação de produtos de sua linha de fones de ouvido e caixas de som em outubro e ainda não obteve resposta.

    A empresa do ramo de saúde Medline International Inc., por sua vez, já garantiu a isenção de taxas em mais de 30 produtos como jalecos, máscaras de proteção facial e copos medicinais.

    Os pedidos desta empresa foram realizados em janeiro deste ano e a autorização para importação sem tarifas aduaneiras foi recebida já nesta quinta-feira (5).

    Produtos do setor de saúde haviam sido submetidos a taxas de importação adicionais pela administração Trump em setembro de 2019, no auge da chamada "guerra comercial" entre os dois países.

    Presidente americano Donald Trump (à direita) e o presidente chinês Xi Jinping (à esquerda) durante encontro (foto de arquivo)
    © AP Photo / Andy Wong, File
    Presidente americano Donald Trump (à direita) e o presidente chinês Xi Jinping (à esquerda) durante encontro (foto de arquivo)

    A tarifa imposta para produtos médicos importados da China era inicialmente de 15%, mas foi posteriormente reduzida para 7,5% como parte da "fase 1" do acordo comercial firmado por Pequim e Washington.

    O acordo, concluído em fevereiro de 2020, mantém cerca de US$ 370 bilhões (cerca de R$ 1,7 trilhão) em tarifas de importação de produtos chineses.

    Mais:

    Pompeo admite que EUA 'ficam para trás' no combate ao coronavírus e culpa China
    China cria tropas de biossegurança para combater epidemias
    Trump não acredita em dados sobre coronavírus, mas EUA alocam US$ 8 bilhões para combater doença
    Tags:
    máscara, novo coronavírus, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar