14:34 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Cruzador nuclear pesado russo Pyotr Veliky

    Congressista americano parabeniza Marinha dos EUA com FOTO de cruzador russo

    © Sputnik / Vitaly Ankov
    Américas
    URL curta
    12541
    Nos siga no

    Um congressista americano parabenizou a Marinha dos EUA pelo seu 244º aniversário com a imagem de um navio de guerra russo, o Pyotr Veliky.

    O parlamentar da Flórida, Brian Mast, fez a postagem em seu Twitter no domingo (13).

    O erro foi notado pelo jornalista da edição Politico, Dave Brown, que observou: "Esse é o cruzador de guerra russo Pyotr Veliky".

    Depois disso, o congressista corrigiu a publicação, substituindo a ilustração por um navio da Marinha dos EUA.

    Feliz aniversário para a Marinha dos EUA! Agradecemos aos homens e mulheres que prestam serviço para manter nossas águas seguras

    O cruzador de mísseis nucleares Pyotr Veliky foi colocado em operação em 1998, tendo sido projetado para destruir grupos navais inimigos liderados por porta-aviões.

    O cruzador é equipado com um impressionante conjunto de armas antinavio: o sistema de mísseis Granit e o sistema antiaéreo Fort (S-300F).

    Cruzador porta-mísseis nuclear Pyotr Veliky no cais da Frota do Norte em Severomorsk
    © Sputnik / Pavel Lvov
    Cruzador porta-mísseis nuclear Pyotr Veliky no cais da Frota do Norte em Severomorsk

    A potente central nuclear do cruzador permite atingir uma velocidade de 60 quilômetros por hora e foi concebida para funcionar durante 50 anos. Para efeito de comparação, o cruzeiro Pyotr Veliky é capaz de fornecer eletricidade e energia térmica para uma cidade de 150-200 mil habitantes.

    Mais:

    Publicado VÍDEO da manobra do destróier da Rússia para evitar cruzador dos EUA
    Cruzador dos EUA chega muito perto de colidir com destróier da Rússia
    Revista americana inclui cruzador russo na lista de navios 'mais mortíferos do mundo'
    Tags:
    cruzador, Pyotr Veliky, Marinha dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar