05:53 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Cruzador porta-mísseis nuclear pesado Pyotr Veliky no Oceano Atlântico

    Revista americana inclui cruzador russo na lista de navios 'mais mortíferos do mundo'

    Assessoria de imprensa da Frota do Norte
    Defesa
    URL curta
    11314

    A revista norte-americana The National Interest incluiu o cruzador de mísseis do projeto 144 Orlan na lista dos navios de superfície mais potentes do mundo.

    No âmbito do projeto Orlan, entre 1973 e 1989 no Estaleiro do Báltico foram construídos quatro cruzadores — Admiral Ushakov, Admiral Lazarev, Admiral Nakhimov e Pyotr Veliky. Deles, somente o último permanece em serviço, sendo o navio-almirante da Frota do Norte. O Admiral Nakhimov está passando por modernização.

    Os navios do projeto são equipados com 20 lançadores de mísseis de cruzeiro antinavio P-700 Granit com carga nuclear.

    "Velozes e potentes, os navios do projeto Orlan foram desenvolvidos para detectar e destruir os porta-aviões nucleares dos EUA, que podem se mostrar hostis em relação aos submarinos de Moscou ou ao território do país", assinalou o observador da revista, Kyle Mizokami. 

    Além disso, a lista dos navios mais potentes inclui o cruzador de mísseis da classe Ticonderoga e o destróier da classe Arleigh Burke norte-americanos. O autor destacou a presença neles do sistema de defesa antimíssil Aegis equipado com mísseis SM-3.

    "Os navios da classe Ticonderoga possuem um dos maiores arsenais de mísseis do mundo, são capazes de portar até 122 mísseis de diferentes tipos- SM-2, SM-6 e SM-3, RIM-17 Ticonderoga, Tomahawk, bem como mísseis antinavio ASROC", lê-se no artigo.

    De acordo com o autor, o destróier da classe Kongo é a embarcação japonesa mais potente. Segundo Mizokami, trata-se de uma cópia quase exata dos navios militares norte-americanos da classe Arleigh Burke.

    "Os destróiers da classe Kongo são considerados como defensores do Japão. Equipados com os mísseis de intercepção SM-3, somente dois destróiers podem proteger a maior parte do país em caso de ataque com mísseis balísticos", escreveu Mizokami, acrescentando que o país mantém no mar duas embarcações deste tipo, sendo capazes de cumprir sua missão a qualquer tempo.

    Além disso, a lista incluiu o inovador destróier chinês Type 055, que irá ser o maior do mundo depois dos destróiers norte-americanos Zumwalt. Prevê-se que o navio chinês seja dotado com 112 mísseis de diferentes tipos, integrados com o sistema Aegis.

    Mais:

    Su-34 russo destrói 'navio inimigo' com 'morte supersônica' (VÍDEO)
    Confira navio de guerra russo 'mais fortemente armado no mundo', segundo mídia americana
    'Poucos países podem fazer isso': analista avalia projeto do novo porta-aviões chinês
    Tags:
    mísseis, navio, destróier, cruzador, Japão, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar