14:56 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Chanceler brasileiro Ernesto Araújo participa de entrevista ao lado do secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo

    Pompeo anuncia fundo de US$ 100 milhões dos EUA na Amazônia após encontro com Araújo

    © REUTERS / Yuri Gripas
    Américas
    URL curta
    20623
    Nos siga no

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, prometeu nesta sexta-feira um fundo de US$ 100 milhões liderado por empresas norte-americanas para conservar a Amazônia brasileira, afirmou em entrevista coletiva em Washington com o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo.

    "Vamos lançar um compromisso assumido em março, um fundo de investimento de US$ 100 milhões de dólares, ao longo de 11 anos, para conservar a biodiversidade na Amazônia, e esse projeto será liderado pelo setor privado", declarou Pompeo.

    A promessa de criar um fundo para a Amazônia foi anunciada pela primeira vez em março, quando o presidente Jair Bolsonaro se encontrou com Donald Trump na Casa Branca.

    Seguindo as palavras de Pompeo, Araújo criticou, sem citá-los, os governos que questionam a capacidade do Brasil de proteger seus recursos naturais e falou da soberania nacional que sublinha o entendimento com os Estados Unidos.

    "Nossos amigos aqui nos EUA sabem que isso não é verdade [que o Brasil não é capaz de suportar o desafio ambiental na Amazônia] e precisamos estar juntos no esforço de criar um desenvolvimento conjunto que, estamos convencidos, é o único caminho para proteger a selva", avaliou o chanceler brasileiro.

    Críticas europeias

    Nos últimos meses, a Noruega e a Alemanha suspenderam suas contribuições ao Fundo Amazônia, um instrumento do governo brasileiro para receber doações destinadas a preservar essa floresta, alegando que as taxas de desmatamento estavam aumentando sem controle.

    Vegetação em chamas na floresta Amazônica
    © AP Photo / Dario Lopez-Mills
    Vegetação em chamas na floresta Amazônica

    O presidente Bolsonaro respondeu com críticas aos dois países, observando que o Brasil não precisa de ajuda de terceiros e sugerindo que a chanceler alemã Angela Merkel poderia usar esse dinheiro para reflorestar seu próprio país.

    Após os incêndios das últimas semanas, os países do G7 também prometeram um fundo para ajudar o Brasil no combate a incêndios, que também foi recebido com desconforto pelo líder brasileiro. Sobre isso, Araújo informou que Brasília crê que a ajuda de Washington é mais efetiva do que a dos países europeus para a conservação da Amazônia.

    Durante sua visita de três dias a Washington, Araújo disse que discutiu um possível acordo de livre comércio com o representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, e com o secretário de Comércio, Wilbur Ross.

    "Não há data específica, mas queremos em breve", revelou Araújo.

    Mais:

    Hipótese de internacionalização da Amazônia fere normas da ONU, diz especialista
    Bolsonaro investirá em campanha mundial de publicidade por Amazônia: 'Brazil by Brasil'
    Do verde ao cinza: queimadas na Amazônia são vistas do espaço
    Tags:
    preservação, Amazônia, meio ambiente, relações bilaterais, diplomacia, Mike Pompeo, Ernesto Araújo, Donald Trump, Jair Bolsonaro, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar