10:22 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Nicolás Maduro, presidente da República Bolivariana da Venezuela, durante um discurso em Caracas (arquivo)

    Sem luz: sistema elétrico da Venezuela sofreu 3º ataque cibernético, diz Maduro

    © REUTERS / Manaure Quintero
    Américas
    URL curta
    251220

    O sistema elétrico da Venezuela sofreu um terceiro ataque cibernético neste sábado, que causou um novo apagão geral em todo o país, denunciou o presidente venezuelano Nicolás Maduro em um comício do governo maciço.

    "Hoje nós reconectamos 70% do país, quando fomos alvo ao meio-dia de outro ataque cibernético a uma das fontes de geração que estava funcionando perfeitamente e que atrapalhou a reconexão e derrubou tudo que conseguimos até o meio-dia", explicou Maduro.

    O presidente venezuelano estava referindo-se às tarefas das autoridades para restaurar o serviço, que foi cortado na tarde de quinta-feira em quase todo o país caribenho.

    Mais cedo, o presidente sindical do órgão regulador do setor, Oswaldo Méndez, declarou que a recuperação do serviço de eletricidade na Venezuela levaria pelo menos 72 horas.

    "Temos informações de que uma hora atrás já estava energizando de Caracas para cá, esperamos que o sistema não seja desligado novamente e possamos recuperar hoje, para que toda a Venezuela possa ter energia pelo menos 72 horas", afirmou o líder da Corporação Elétrica Nacional a um grupo de jornalistas em uma concentração oficial no estado de Lara.

    As autoridades restauraram o serviço elétrico gradativamente entre quinta e sexta em algumas áreas do país, inclusive na capital, mas no sábado ao meio-dia a energia voltou a percorrer grandes áreas.

    O governador de Aragua, Rodolfo Marco Torres, disse que foi possível recuperar todo o serviço de energia elétrica do estado.

    "Avançamos na recuperação do fornecimento de energia em todo o estado, permanecemos implantados pelas ruas de Aragua, nosso povo consciente, em paz e tranquilidade tem resistido a um ataque criminoso. Sempre venceremos!", declarou Torres em sua página no Twitter.

    Segundo relatos na mídia e redes sociais, um incêndio ocorreu no sábado em uma subestação de energia em Sidor (Guayana), nos arredores de Ciudad Bolívar.

    As redes de eletricidade venezuelanas entraram em colapso no dia 7 de março, após um colapso em El Gurí, uma usina hidrelétrica que fornece 80% do consumo de fluidos da Venezuela como resultado de um ataque de computador ao sistema de controle automatizado da usina.

    O apagão que começou na quinta-feira e afetou 18 dos 23 estados do país.

    A telefonia fixa e móvel também não funcionava em vários estados, segundo apurou a Sputnik.

    Maduro acusou o imperialismo norte-americano de anunciar e dirigir a guerra elétrica contra a Venezuela.

    Segundo o ministro da Informação, Jorge Rodríguez, Washington sabia de antemão o que deveria acontecer com o sistema elétrico venezuelano e isso é confirmado pela velocidade com que o secretário de Estado Mike Pompeo e o senador Marco Rubio reagiram nas redes.

    Mais:

    Venezuela acusa EUA de 'celebrar' apagão na Venezuela
    Trump e Bolsonaro discutirão crise da Venezuela em Washington
    Pompeo sobre apagão na Venezuela: 'Políticas de Maduro não causam nada além de escuridão'
    Tags:
    crise na venezuela, sabotagem, ataque cibernético, energia elétrica, Corporação Elétrica Nacional, Jorge Rodríguez, Marco Rubio, Mike Pompeo, Rodolfo Marco Torres, Oswaldo Méndez, Nicolás Maduro, Estados Unidos, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar