18:01 09 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Trump se reúne com apoiadores na Pensilvânia.

    Após incidente no estreito de Kerch, Trump ameaça não ir à reunião com Putin no G20

    © Sputnik/ Katelyn Oaks
    Américas
    URL curta
    21224

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse durante uma entrevista que pode cancelar sua reunião com o presidente russo, Vladimir Putin, marcada para ocorrer durante o encontro do G20, na Argentina.

    O motivo seria o incidente naval envolvendo Rússia e Ucrânia no estreito de Kerch.

    "Talvez eu não tenha a reunião [com Putin]. Talvez eu nem tenha a reunião", disse Trump ao The Washington Post nesta terça-feira (27). "Eu não gosto dessa agressão. Eu não quero essa agressão", completou.

    Trump também afirmou que aguarada um relatório completo de sua equipe de segurança nacional detalhando as ações da Rússia no mar Negro no domingo (25).

    Mais cedo nesta terça-feira (27), a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse durante coletiva de imprensa que Trump pretende realizar diversas reuniões bilaterais durante a cúpula do G20. Em sua fala ela citou, entre outros, o encontro com o presidente Putin.

    O Conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, também declarou que a reunião entre os líderes de EUA e Rùssia será uma continuação das conversas tidas entre ambos em Helsinque, no início deste ano. Bolton acrescentou que as recentes tensões entre Rússia e Ucrânia estariam entre os tópicos de discussão.

    No domingo (25), o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) divulgou que interceptou três navios ucranianos que adentraram ilegalmente em águas territoriais russas temporariamente fechadas no estreito de Kerch. O FSB afirmou ainda que os navios da Ucrânia violaram a lei internacional ao tentar passar do mar Negro para o mar de Azov.

    Em resposta, as autoridades ucranianas decidiram, já na segunda-feira (26), introduzir a lei marcial em regiões da Ucrânia ao longo da fronteira com a Rússia, assim como ao longo da costa do mar Negro e do mar de Azov. A lei marcial durará por um período de 30 dias.

    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse no mesmo dia que o incidente representa uma provocação muito perigosa e exigiu uma investigação séria a respeito do incidente.

    Mais:

    Trump critica May e diz que Brexit pode prejudicar acordo entre EUA e Reino Unido
    EUA podem impôr tarifa sobre Iphones e Laptops importados da China, diz Trump
    Desavença entre Trump e Macron pode estar por detrás dos protestos violentos na França?
    Eco da guerra: Trump força agricultores americanos a destruir colheitas
    Trump ameaça fechar fronteira com México
    Tags:
    reunião bilateral, tensão na Ucrânia, Ucrânia, Cúpula do G20, Washington Post, Casa Branca, Kremlin, Serviço Federal de Segurança (FSB), G20, Sarah Sanders, Donald Trump, Dmitry Peskov, Vladimir Putin, Estados Unidos, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik