09:04 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Alexandria Ocasio-Cortez discursa após ser eleita.

    Com participação recorde de mulheres, Congresso dos EUA terá indígenas e muçulmanas

    © AP Photo / Stephen Groves
    Américas
    URL curta
    994

    Os democratas retomaram o controle da Câmara dos Representantes com uma onda de novos candidatos após as eleições legislativas. É a primeira vez em 8 anos que o partido terá maioria na Casa - o que deve dificultar a vida do presidente Donald Trump.

    O Partido Democrata conseguiu duas dúzias de distritos controlados pelo Partido Republicano nos subúrbios em todo o país, e atingiu os 218 assentos necessários para a maioria.

    Na contagem parcial, os democratas venceram 219 corridas e os republicanos 193, com vencedores indeterminados em 23 corridas. Os democratas lideram em nove deles, os republicanos em 14. A contagem final provavelmente deixará os democratas com uma maioria estreita que pode ser difícil de administrar e preservar.

    O pleito também foi marcado pela eleição recorde de mulheres para a Câmara — serão ao menos 95 representantes. Pela primeira vez, foram eleitas mulheres indígenas (Sharice Davids e Deb Haaland) e muçulmanas (Ilhan Omar e Rashid Tlaib). Além disso, foi eleita a mulher mais jovem da história da Câmara dos EUA. Alexandria Ocasio-Cortez tem 29 anos e é abertamente socialista.

    Outro fator de destaque é a eleição de Jared Polis como governador do Colorado. Será o primeiro governador assumidamente gay na história do país.

    A líder democrata Nancy Pelosi, que está tentando recuperar o posto de presidente da Câmara, chamou o momento de um "novo dia na América".

    Ela saudou "aqueles candidatos dinâmicos, diversos e incríveis que levaram de volta a Casa para o povo americano".

    Com os republicanos mantendo o controle do Senado, o resultado na Câmara poderia significar um impasse para a agenda de Trump no Capitólio — ou, inversamente, poderá abrir uma nova era de acordos.

    Como partido majoritário, os democratas terão controle de comissões importantes e terão amplos poderes para investigar o presidente, seus negócios e o funcionamento interno de sua administração, inclusive se alguém da campanha de Trump conspirou com os russos para influenciar a eleição presidencial de 2016.

    Eles terão autoridade para solicitar as declarações de impostos do presidente e poderão intimar Trump para obter documentos, e-mails e depoimentos.

    No entanto, qualquer tentativa de impugnar Trump deverá enfrentar resistência no Senado dominado pelos republicanos.

    Mais:

    Analista: Estados Unidos perdem liderança no desenvolvimento de mísseis de cruzeiro
    Por que 'Forte Trump' na Polônia seria ideia ruim para Estados Unidos e Europa?
    Rússia quer receber ajuda econômica dos Estados Unidos, garante Trump
    Estados Unidos coordenaram ataque de drones à base russa na Síria, diz Defesa russa
    Tags:
    Alexandria Ocasio-Cortez, Nancy Pelosi, Donald Trump, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik