07:59 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o presidente chinês, Xi Jinping, durante uma cerimônia de boas-vindas no Grande Salão do Povo em Pequim.

    Trump 'pode puxar o gatilho' com tarifas adicionais a importações chinesas

    © AP Photo / Andy Wong, File
    Américas
    URL curta
    12412

    Em entrevista à CNBC, o assessor da Casa Branca, Larry Kudlow, alertou que, caso as negociações entre EUA e China sobre o comércio não corram bem, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, "poderá puxar o gatilho" das tarifas adicionais sobre produtos chineses.

    "Depende de como as negociações vão. Ele disse que poderia puxar o gatilho em cerca de US$ 265 bilhões. Não sabemos que tarifa pode ser", disse ele.

    Kudlow acrescentou que não é tão otimista quanto a chegar a um acordo comercial com Pequim no curto prazo. Kudlow disse que a próxima reunião entre Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, na cúpula do G-20 é "definitiva" e observou que a disputa comercial entre os países estará na agenda da reunião.

    O assessor da Casa Branca compartilhou que se as negociações comerciais entre Washington e Pequim melhorarem, as tarifas dos EUA sobre as importações chinesas poderiam ser suspensas, mas até agora Trump não ordenou que as autoridades americanas iniciassem o desenvolvimento de um acordo preliminar de comércio entre os países. Ao mesmo tempo, Kudlow observou que os EUA não receberam nenhuma oferta comercial de Pequim.

    "Olha, não há movimento maciço para lidar com o comércio", disse Kudlow.

    A disputa comercial entre os EUA e a China começou depois que Washington impôs pesadas tarifas sobre o aço e o alumínio chineses em abril de 2018, provocando uma resposta espelhada de Pequim. Ao longo do ano, os dois países trocaram várias rodadas de tarifas mútuas no valor de bilhões de dólares. Os EUA estão instando a China a negociar um novo acordo comercial "justo".

    Tags:
    Casa Branca, Donald Trump, Xi Jinping, Larry Kudlow, Estados Unidos, China, Pequim, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik