09:35 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, durante desfile militar em homenagem ao 16º aniversário da volta do ex-presidente Hugo Chávez ao poder

    Maduro: programa econômico foi bem sucedido em seus primeiros 10 dias

    © AP Photo / Ariana Cubillos
    Américas
    URL curta
    640

    O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que o programa de recuperação econômica estabelecido no dia 20 de agosto foi bem-sucedido em seus primeiros 10 dias.

    "O Programa de Recuperação da Economia tem demonstrado em 10 dias ser certo para recuperar o equilíbrio e a estabilidade do país. Anuncio novas medidas anunciadas para fazer avançar a reestruturação da nossa economia", escreveu o presidente em seu Twitter.

    As novas medidas pedem "respeito às novas regras do jogo em busca do equilíbrio econômico" e liberação dos "mecanismos burocráticos para facilitar a participação dos fornecedores e compradores do mercado de câmbio".

    Além disso, ele considerou que "as pessoas devem respeitar os preços acordados" para cerca de 25 produtos essenciais e apontou que um plano de poupança de ouro será iniciado.

    Maduro lembrou que em 4 de setembro entra em vigor o novo sistema de cobrança de gasolina em 41 municípios de fronteira.

    "Nós estamos transitando do capitalismo especulativo, caótico e criminal, para uma economia equilibrada. Vamos voltar à pista para o crescimento sustentado e sustentável, para garantir ao nosso povo a suprema felicidade", acrescentou.

    O governo venezuelano confirmou nesta quinta-feira ter elevado o Imposto sobre Valor Agregado de 12% a 16% para os grandes contribuintes, mas exonerou alimentos e medicamentos, e também eliminou mais de 8 mil tarifas de importação em uma tentativa de impulsionar a indústria e a agricultura.

    Além disso, em 20 de agosto, começou a circular no país a nova moeda — bolívar soberano — que cortou cinco zeros do câmbio da moeda anterior. Por decreto, o dólar passou a valer 60 bolívares e o salário mínimo subiu. 

    Nesta sexta-feira, no entanto, a cotação no mercado informal foi de 87,22 bolívares por dólar.

    Mais:

    Venezuela afirma que 'milhares' de imigrantes querem voltar para casa
    Presidência volta a descartar hipótese de fechar fronteira com Venezuela
    Venezuela prorroga proibição temporária de porte de armas
    Professor avalia mudança de câmbio na Venezuela e prevê próximos passos da crise
    Crise na Venezuela pode deixar Roraima 'no escuro'
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik