07:16 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, e seu homólogo russo, Vladimir Putin, durante a reunião em Helsinque, Finlândia

    'Nem amigo nem adversário têm imunidade contra duplicidade das autoridades americanas'

    © Sputnik / Aleksei Nikolsky
    Américas
    URL curta
    690

    A política dos EUA em relação à Rússia é o exemplo mais vivo da duplicidade de Washington, de acordo com um jornal suíço. Será que tal atitude é tomada apenas perante "concorrentes' e "adversários", ou é o modelo de comportamento comum para a Casa Branca?

    Segundo escreve o Neue Zurcher Zeitung, os EUA tratam assim quase todos os países, inclusive os seus "amigos". Lá se formou um modelo, segundo qual o presidente dos EUA diz uma coisa enquanto seus ministros fazem outra. Isso, por sua vez, confunde os diplomatas e políticos em todo o mundo, destaca o autor do artigo, Andreas Ruesch.

    Ele opina que a aplicação de novas sanções contra a Rússia por parte dos EUA pode ser considerada algo de obscuro na política estadunidense. "Será que ainda em julho o presidente [dos EUA, Donald] Trump não sublinhava que conseguiu construir ótimas relações com o chefe do Kremlin, [Vladimir] Putin?", pergunta Ruesch.

    Ademais, indica, o chefe da Casa Branca nunca criticou Moscou por envenenar o ex-agente duplo Sergei Skripal e sua filha em Salisbury. No entanto, foi esse ataque que serviu de motivo para adotar novas medidas punitivas, recorda o jornalista suíço.

    Entretanto, não há nada de surpreendente, enfatiza. "A decisão de impor sanções só prova [a existência de] um modelo que na era de Trump tem se tornado rotineiro: o presidente diz uma coisa, enquanto os burocratas e congressistas fazem outra."

    Tal contradição é melhor observada na política norte-americana em relação à Rússia, mas não só. As cúpulas de Trump com seus homólogos iraniano, Hassan Rouhani, e norte-coreano, Kim Jong-un, podem caracterizar bem as ações do governo estadunidense.

    "Nem amigo nem adversário têm imunidade contra duplicidade das autoridades americanas", assegura o autor.

    Um caça-bombardeiro americano F/A-18F Super Hornet sobrevoa o porta-aviões da Marinha dos EUA USS Gerald R. Ford, enquanto este testa seus novos sistemas EMALS e AAG no Atlântico
    © REUTERS / Marinha dos EUA/Erik Hildebrandt
    Então, o que pode servir de estrela orientadora para os políticos estrangeiros: "As palavras do presidente ou dos seus ministros, que frequentemente seguem uma linha mais moderada?".

    Segundo escreve o jornalista, os políticos norte-americanos já tornaram claro que as fortes declarações de Trump nem sempre têm uma base sólida. Não obstante, o presidente dos EUA possui os poderes necessários para "converter seus caprichos em política oficial".

    Mais:

    EUA não conseguirão fazer Turquia se ajoelhar, diz Erdogan
    Por 'segurança na região', EUA enviam destróier USS Carney ao mar Negro
    EUA deram prazo para Turquia soltar pastor americano
    Jornalista: EUA testam armas biológicas nos países do Leste Europeu
    Tags:
    adversários, amigo, padrões duplos, política externa, interesses, Casa Branca, Donald Trump, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik