13:01 17 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente boliviano, Evo Morales

    Evo Morales acusa EUA de atentar contra a paz na Nicarágua: 'Eles não são donos do mundo'

    © REUTERS / Juan Carlos Ulate
    Américas
    URL curta
    7131

    O presidente da Bolívia, Evo Morales, acusou o governo dos Estados Unidos de querer "encurtar o mandato constitucional na Nicarágua com eleições antecipadas". "É um anúncio de golpe que ameaça o diálogo e a paz na Nicarágua", disse Morales em sua conta no Twitter.

    O líder boliviano criticou a "obsessão [de Washington] pela interferência nos assuntos internos dos países soberanos" e afirmou que "os Estados Unidos não são donos do mundo".

    ​Os EUA mostram sua obsessão com a interferência nos assuntos internos dos países soberanos e exigem a redução do mandato constitucional na Nicarágua com eleições antecipadas. É um anúncio de golpe que ameaça o diálogo e a paz na Nicarágua. Os EUA não são donos do mundo.

    Na terça-feira (24), o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, escreveu em sua conta no Twitter que os EUA solicitam que o governo da Nicarágua realize eleições antecipadas e "coloque um fim à violência". Pence culpou as autoridades nicaraguenses pela morte de mais de 350 pessoas durante os tumultos e afirmou que "a violência na Nicarágua patrocinada pelo Estado é inegável".

    O presidente nicaraguense, Daniel Ortega, descartou o avanço das eleições presidenciais, como exigiu a oposição e afirmou que em seu país "as regras são estabelecidas pela Constituição" e não pode ser mudado "da noite para o dia simplesmente porque isso se sucedeu a um grupo de golpe".

    Desde abril no país houve manifestações contra o governo que começaram a exigir mudanças nos benefícios da previdência social. Marcado pela violência e por mortes de manifestantes, os protestos continuaram mesmo depois que o presidente revogou seu decreto sobre pensões para facilitar o diálogo interno.

    Segundo dados da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, até o momento morreram 295 pessoas em meio aos tumultos gerados pela crise sociopolítica no país. A Associação Nicaraguense Pró-Direitos Humanos (ANPDH) eleva para 351 o número de mortos até a data de 10 de julho. 

    ​Conferência de imprensa; 351 cidadãos mortos até 10 de julho; 2100 feridos, muitos dos quais foram negados o direito humano de receber assistência médica; Gravemente feridos: 51 cidadãos; Sequestros e desaparecimentos: 329 (68 cidadãos aparecidos torturados)

    Mais:

    Evo Morales: relações com Brasil serão diferentes se Bolsonaro vencer eleições
    Evo Morales se solidariza com a Rússia e critica expulsão de diplomatas
    Evo Morales: Trump tem 'obsessão golpista' com Venezuela
    Evo Morales: 'Trump deve entender que ele não é o patrono do mundo'
    Tags:
    obsessão, interferência estrangeira, assuntos internos, diálogo de paz, eleição, acusação, Comissão Interamericana de Direitos Humanos, Mike Pence, Daniel Ortega, Evo Morales, Bolívia, Nicarágua, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik