15:41 12 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares da Marinha dos EUA durante a cerimônia de descida das bandeiras

    Má reputação da Marinha dos EUA: segredos militares em troca de 'festas com prostitutas'

    © AFP 2019 / Toru YAMANAKA
    Américas
    URL curta
    322
    Nos siga no

    Marinheiros norte-americanos de alto escalão teriam revelado informações confidenciais, que causou o desfalque de quase US$ 35 milhões (R$ 115,1 milhões) das Forças Armadas.

    O que começou como uma investigação do Departamento de Justiça dos EUA sobre corrupção ao redor de um contratante militar asiático, acaba de incluir mais 60 almirantes e centenas de oficiais da Sétima Frota norte-americana, informa o jornal The Washington Post.

    A Marinha estadunidense confirmou que está revisando o comportamento de 440 pessoas em serviço e retirados por possíveis violações da lei militar ou das regras de ética federal em seu tratamento a Leonard Glenn Francis, magnata marítimo com residência em Singapura e conhecido coloquialmente como "Fat Leonard" (Leopardo gordo), quem recebia dados secretos dos militares em troca de benefícios pessoais, entre eles, festas sexuais com prostitutas.

    Anteriormente, o empresário confessou sua participação na fraude de dezenas de milhões de dólares durante negócios com a Marinha norte-americana.

    O pior escândalo de corrupção da Marinha desde a Segunda Guerra Mundial

    Atualmente, os serviços fiscais federais norte-americanos afirmam que ao realizar tais "trocas", o magnata recebeu dados secretos, que possibilitaram a sua empresa, Glenn Defence Marine Asia (GDMA), desviar da Marinha dos EUA quase US$ 35 milhões (R$ 115,1 milhões).

    Os dados incluem movimentos de navios e informação confidencial de contratos. Em alguns casos, os comandantes dirigiam seus navios a portos onde a GDMA podia cobrar tarifas falsas, destacam serviços fiscais, citados pela AP.

    Essas fraudes são consideradas o pior escândalo de corrupção da Marinha desde a Segunda Guerra Mundial. E para por fim a todas essas violações e vazamentos de dados confidenciais, desde 2006 funciona o Serviço de Investigação Criminal Naval (NCIS) que é responsável por mais de duas dúzias de investigações sobre Glenn Defense.

    Mais:

    Oficial da Marinha dos EUA pode responder à Corte Marcial por compartilhar nude de colega
    Oficial da Marinha dos EUA passará 6 anos na prisão por contar sigilos a namoradas
    Pilotos da Marinha dos EUA se recusam a voar devido a falhas nos aviões
    'Flotilha de Trump': EUA vão gastar bilhões com Marinha e corrupção?
    Tags:
    negócios, investigação, almirantes, segredos, informações confidenciais, fraude, Departamento da Justiça dos EUA, Marinha dos EUA, Singapura, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar