13:51 19 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Secretário de Estado norte-americano James Mattis gestures durante a conferência de imprensa sobre a campanha contra o Daesh no Pentágono, Washington, 19 de maio de 2017

    Secretário de Defesa dos EUA: treinamos constantemente para repelir ataque de Pyongyang

    © REUTERS / Yuri Gripas
    Américas
    URL curta
    703

    As Forças Armadas dos EUA estão treinando constantemente para repelir um eventual ataque nuclear da Coreia do Norte, disse o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis.

    Mattis foi questionado em 30 de outubro, durante uma audiência no Senado, que plano tem a administração dos EUA se a Coreia do Norte decidir realizar um ataque de mísseis contra Washington.

    "Nós treinamos constantemente [para repeli-lo]", respondeu o chefe do Pentágono.

    Militares norte-coreanas durante a parada militar em homenagem ao 60º aniversário do fim da Guerra da Coreia, 2013
    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Segundo ele, no caso de um ataque real, primeiro serão ativados as estações de rastreamento e os mísseis interceptores, instalados no Alasca e na Califórnia.

    Em seguida, será apresentada ao presidente uma "gama ampla" de medidas de resposta, possivelmente com a participação dos aliados dos EUA na região (tradicionalmente são o Japão e a Coreia do Sul).

    A Coreia do Norte realizou este ano o sexto teste nuclear e uma série de testes de mísseis balísticos, incluindo o lançamento de dois supostos mísseis intercontinentais, capazes de alcançar o território dos EUA, e dois mísseis de alcance intermediário que sobrevoaram a ilha japonesa de Hokkaido.

    Pyongyang também ameaçou atacar com mísseis a ilha norte-americana de Guam, onde estão localizados os bombardeiros estratégicos do B-1B Lancer dos EUA.

    Mais:

    Opinião: Rússia não pode ter provocado exercícios nucleares dos EUA
    Opinião: EUA estão formando 'centro de poder' alternativo em Raqqa
    Tags:
    defesa, mísseis, ataque, James Mattis, EUA, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar