12:57 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Evo Morales, presidente da Bolívia (arquivo)

    Evo Morales acusa autoridades chilenas de racismo

    © REUTERS/ Cortesía de la Presidencia Boliviana
    Américas
    URL curta
    4682

    O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse hoje que autoridades do Chile insultaram, inclusive com comentários racistas, um grupo de bolivianos que passaram três meses detidos no país vizinho, acusados de contrabando, porte ilegal de armas e roubo.

    Os nove bolivianos, dois militares e sete funcionários da alfândega, foram presos no dia 19 de março. No último dia 21, foram condenados por esses supostos crimes e expulsos do Chile. Entretanto, de acordo com Morales, os próprios chilenos teriam reconhecido que não houve crime algum. 

    "Os9sãoInocentes [hashtag em apoio aos bolivianos detidos] me informaram que algumas autoridades do Chile disseram: 'vocês são presos políticos'. Reconhecem que não houve delito", declarou Morales após um encontro com seus cidadãos, acrescentando que eles também teriam sido chamados de "raça maldita" na prisão. 

    "Somos uma raça de bronze, guerreira e lutadora, que reivindica os direitos dos povos", disse o chefe de Estado.

    A Bolívia considera ilegal a detenção de seus funcionários e militares, e acredita ser uma vingança por La Paz ter apresentado uma demanda marítima contra o Chile no Tribunal Internacional de Justiça. Nessa demanda, o país pede que o Chile cumpra a promessa de dar à Bolívia uma saída soberana para o Oceano Pacífico, conforme uma série de declarações e acordos feitos ao longo dos séculos passado e retrasado. 

    Mais:

    A vez dos latinos: Bolívia assumirá a presidência do Conselho de Segurança da ONU
    Presidente da Bolívia critica Trump por comentários sobre Fidel Castro
    Chile é condenado a pagar milhares de dólares a prisioneiro político de Pinochet
    Evo Morales denuncia ‘contradição’ do Chile sobre suposta base militar na fronteira
    Tags:
    Tribunal Internacional de Justiça, Evo Morales, Oceano Pacífico, La Paz, Bolívia, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik