02:01 27 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    24282
    Nos siga no

    A mão do presidente russo, Vladimir Putin, "estendeu-se até o México", isto é, até as eleições presidenciais mexicanas, que serão realizadas no ano que vem. É o que afirma Fernando García Ramírez, colunista do jornal El Financiero.

    No artigo recente "La amenaza rusa en México" (A ameaça russa no México, em português), o qual já foi deletado da Internet, o jornalista citado acima acusa o Kremlin de tentar colocar seu escolhido para governar o país. Mais precisamente, o líder da oposição Andrés Manuel López Obrador, qualificado pelo comentarista como "populista autoritário".

    Segundo o jornalista, Moscou muitas vezes demonstrou sua capacidade de controlar o processo eleitoral em qualquer lugar do mundo. Basta mencionar a vitória de Donald Trump nas presidenciais dos EUA, a vitória do Brexit no Reino Unido e a derrota do ex-primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, no referendo para a reforma constitucional. 

    Ao explicar os motivos da Rússia que a impulsionam influenciar nas eleições mexicanas, o colunista afirma que Moscou "se beneficiaria bastante" se tivesse neste país latino-americano um candidato à presidência hostil ao governo dos EUA.

    Para tirar dúvidas dos leitores quanto às intenções enigmáticas de Putin, o jornalista cita o oposicionista russo, Garri Kasparov, quem, ao responder à pergunta se a Rússia pode intervir nas eleições mexicanas, disse o seguinte:

    Navios de guerra da Marinha do Irã
    © AP Photo / Agência de Notícias Fars, Mahdi Marizad
    "Duvido que o México seja tão importante para o Kremlin. Mas caso seja, claro que o fará." 

    E Fernando García Ramírez assume a responsabilidade por abrir os olhos dos compatriotas e explicar como a Rússia o fará. O Kremlin usará sua arma preferida, o canal RT, que é “a ferramenta-chave da propaganda russa”, diz o colunista, destacando que a mídia já tem seu agente no México.

    Trata-se do analista mexicano John Ackerman, que publicou no site do RT alguns artigos críticos em relação a autoridades mexicanas. 

    "Seria bom saber quanto Ackerman recebe por esta propaganda", diz Fernando García Ramírez. 

    Entretanto, estas divulgações suscitaram a onda de piadas nas redes sociais. "Há muito tempo não li um título tão assustador com um conteúdo tão vazio", escreve Hugo Ortega Romero. "Haha, claro que a culpa toda é da Rússia", acrescenta Leonardo Guzmán Vázquez. 

    O jornalista mexicano Gabriel Infante Carrillo também "está morrendo de rir", como confessou em entrevista à Sputnik Mundo

    De acordo com ele, o artigo publicado no El Financeiro faz parte da campanha difamatória contra López Obrador, líder esquerdista do país que, a cada dia, torna-se mais popular.

    No entanto, esse fato não tem nada a ver com "fatores externos", como, por exemplo, o canal RT. Os erros das autoridades são a principal razão, sublinha Gabriel Infante Carrillo. 

    Para ele, a mídia, controlada pelo governo mexicano responsável pelo descredenciamento do candidato da oposição, resolveu seguir o exemplo dos seus colegas norte-americanos que não param de falar da contribuição russa para a vitória de Trump. 

    "Nisso, as autoridades do meu país seguem o exemplo de muitos outros países, por exemplo, da Ucrânia, que acusa a Rússia de todas as desgraças ao invés de reconhecer que o estado socioeconômico difícil deste Estado é resultado da gestão pouco profissional", disse o especialista.

    Mais:

    Alvo de tiroteio, jornalista fica gravemente ferido no México
    Muro de Trump na fronteira com México custará 67 bilhões de dólares
    Rebelião em prisão no México deixa 45 feridos
    Tags:
    ameaça russa, eleições presidenciais, Brexit, Matteo Renzi, Donald Trump, Vladimir Putin, Itália, EUA, Rússia, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar