22:50 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Presidente eleito dos EUA, Donald Trump, ao telefone, em visita a uma empresa de call center de Asheville, Carolina do Norte, durante campanha

    TV: provas de que Trump era vigiado serão apresentadas ainda esta semana

    © AP Photo / Evan Vucci
    Américas
    URL curta
    0 10

    Os congressistas republicanos esperam que a informação com provas irrefutáveis de que o presidente dos EUA, Donald Trump, estava sob escuta durante a campanha eleitoral, por orientação da administração de Obama, será apresentada ao Congresso ainda esta semana, segundo informou a emissora Fox News, citando fontes anônimas.

    Mais cedo esta semana, o chefe do Comitê de Inteligência da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Devin Nunes, declarou que Trump acabou sendo objeto de uma “vigilância incidental”, cujo alvo eram “cidadãos estrangeiros”.

    Segundo a emissora, outras fontes independentes confirmam os dados de Nunes.

    “A informação não deixa dúvidas de que a administração de Barack Obama, durante os seus últimos dias, sob o pretexto de uma vigilância legalmente fundamentada contra estrangeiros, espionou o presidente eleito Trump”, informou a emissora.

    Trata-se da vigilância da sede da campanha de Trump em Nova York, onde o atual presidente residia e trabalhava antes de se mudar para a Casa Branca, após a posse, realizada em 20 de janeiro deste ano. Nunes, citando suas fontes, declarou que “essa vigilância não tinha relação com a Rússia, nem com a investigação das atividades da Rússia ou da campanha de Trump”.

    Mais:

    Senador McCain: Congresso não tem credibilidade para investigar Trump e Rússia
    Envolvimento de Trump com Rússia: 'Não há evidências'
    Trump ignora Comitê de Inteligência e mantém acusações contra 'espionagem' de Obama
    Inteligência do Senado dos EUA não encontra evidências de grampos em telefones de Trump
    'Nós temos algo em comum': Trump a Merkel sobre supostos grampos de Obama (VÍDEO)
    Tags:
    espionagem, vigilância, escutas, Congresso dos EUA, Devin Nunes, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik