01:44 12 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    221
    Nos siga no

    Gabriel García teria recebido suborno da construtora brasileira para facilitar participação em licitações do país em 2009.

    Acusado de receber propinas para cortar a concorrência e facilitar a participação da Odebrecht em uma obra de 2009, o ex-vice-ministro dos Transportes colombiano Gabriel García foi preso hoje por autoridades do país.

    O inquérito dá conta que García recebeu US$ 6,5 milhões para tornar a construtora, a única concorrente da licitação de um projeto rodoviário. À época, ele ocupava o cargo na gestão do presidente Álvaro Uribe. O pagamento teria acontecido por meio de empresas offshore em paraísos fiscais e foi depositado pelo Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht.

    O procurador-geral da Colômbia, Néstor Martínez, coordena o caso e anunciou a prisão hoje (13) pela manhã. Trata-se da primeira por envolvimento no esquema de corrupção da empreiteira brasileira e os procuradores colombianos dizem que pode haver mais envolvidos no atual mandato de Juan Manuel Santos envolvidas.

    Em comunicado, o ex-presidente Álvaro Uribe afirmou que apoia as investigações. "Não é certo que pessoas como Gabriel García recebam subornos", disse Uribe, acrescentando que seu governo foi enganado.

    Mais:

    Chefe da Inteligência argentina é investigado em caso relacionado à Odebrecht
    Peru proíbe participação da Odebrecht em novas licitações
    Peru e Brasil assinam acordo de cooperação em investigação sobre Odebrecht
    Tags:
    Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, Odebrecht, Gabriel García, Néstor Humberto Martínez, Álvaro Uribe, Juan Manuel Santos, Brasil, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar