03:30 18 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    0 31
    Nos siga no

    O governo colombiano anunciou nesta quinta-feira (27) que não irá iniciar as negociações de paz com o Exército de Libertação Nacional (ELN) até que a guerrilha liberte o político Odin Sanchez Montes de Oca, sequestrado há seis meses.

    O início das negociações de paz entre o governo da Colômbia e o ELN estava programado para este 27 de outubro. No entanto, o ministro do Interior da Colômbia, Juan Fernando Cristo, disse publicamente nesta quinta-feira que não vai iniciar o diálogo até que o grupo insurgente libere o ex-congressista.

    "A decisão tomada pelo Presidente da República é de que até que tenhamos a certeza de que Odin Sanchez se encontra são e salvo, que ele está com sua família e que voltou para o seio da sociedade chocuana [relativo ao departamento colombiano de Chocó], a mesa de negociações no Equador não será istaurada", disse Cristo.

    A informação foi confirmada pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, através de sua conta no Twitter:

    ​Diante da decisão unilateral do governo colombiano, o comandante Pablo Beltran, negociador-chefe do ELN, disse: "Estamos cumprindo tudo que foi acordado (…). Desde a noite passada a delegação de negociações [está] em Quito".

    Caso Odin Sanchez

    Segundo relata a RT, na verdade Odin Sanchez Montes de Oca nunca foi sequestrado pelo ELN. O grupo insurgente tinha em sua posse desde 2013 o ex-governador de Chocó, Patrocinio Sánchez Montes de Oca. Em abril daquele ano, houve uma troca em que Patrocinio foi libertado e seu irmão Odin ficou em seu lugar.

    A família Montes de Oca pertence ao Partido Social de Unidade Nacional (Partido de la U), liderado pelo senador e ex-presidente Alvaro Uribe, um dos principais opositores da paz com os grupos guerrilheiros. No entanto, em meados de agosto, apareceu um vídeo onde Odin, na selva e rodeado por guerrilheiros, exortava o governo a "iniciar negociações de paz com o ELN". 

    Mais:

    Governo da Colômbia anuncia negociações de paz com ELN
    Santos vai doar prêmio em dinheiro do Nobel para as vítimas do conflito na Colômbia
    Colômbia: FARC iniciam debate para abandonar luta armada
    Washington reconhece papel de Cuba na resolução do conflito com as FARC na Colômbia
    Tags:
    suspensão, guerrilheiros, guerrilha, sequestro, negociações, paz, diálogo, ELN, Exército de Libertação Nacional, Álvaro Uribe, Patrocinio Sánchez Montes de Oca, Juan Fernando Cristo, Juan Manuel Santos, Odin Sanchez Montes de Oca, Chocó, Equador, Quito, Colômbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar